Apesar das experiências negativas com os estádios olímpicos de Atenas (2004), Beijing (2008) e Londres (2012), que se encontram ao abandono, ou são explorados como meros atractivos turísticos, o Conselho Desportivo Japonês vai seguir em frente com o projecto, segundo alguns megalómano, para o novo Estádio Olímpico que servirá de arena principal para as Olimpíadas de Tóquio - 2020. O Estádio Olímpico de Tóquio será maior e mais caro do que os seus antecessores, tendo já sido alterado o seu projecto, que inicialmente orçava em 3 mil milhões de dólares, para uns "meros" 1,7 mil milhões - depois de ter sido inicialmente projectado para ser três vezes maior do que o Estádio Olímpico de Londres, será agora "apenas" o dobro.

Publicidade
Publicidade

Apelidado de "nave espacial" ou "capacete de ciclista gigante" este projecto tem levantado vozes opositoras de vários sectores da sociedade japonesa, sendo uma das mais proeminentes a do Arquitecto Fumihiko Maki, responsável pelo desenho do Ginásio Olímpico de Tóquio, para as Olimpíadas de 1964.

"É ridículo!" diz o Professor Maki, de 86 anos. "Estamos a levantar vozes, mas ninguém escuta!"

A maior objecção prende-se com a abóbada retráctil: "Isto torna o projecto tecnicamente mais difícil e dispendioso. Todos os desportistas são contra um campo coberto."

A razão de ser da cobertura prende-se com o uso do estádio como sala de concertos, que se pretende dar após os #Jogos. A descoberto, o estádio seria uma fonte de ruído incompatível com a política da Cidade de Tóquio para áreas residenciais, o que leva à segunda objecção: a sua localização.

Publicidade

Com poucos espaços verdes, o novo estádio açambarcará todo um espaço ajardinado tradicional, muito apreciado pelos cidadãos, os "Jardins do Imperador Meiji."

Manifestantes saídos à rua e mais de 13.000 assinaturas numa petição, não demovem o Conselho Desportivo Japonês, cujo representante Yoshitaka Takasaki afirmou: "Não acho que tenham alguma chance. Tivemos um concurso internacional em que participaram mais de 46 arquitectos. O processo seguiu todos os trâmites e o projecto de Zaha Hadid foi seleccionado. Temos a responsabilidade de construir o novo estádio, baseado neste projecto."

 O Professor Maki não se impressiona com estes argumentos e acusa o Conselho Desportivo de "arrogância burocrática".

- fonte: BBC News Asia  #Entretenimento