Gonçalo Guedes, o prodígio encarnado, é um dos jogadores mais seguidos dos nossos campeonatos. Em Inglaterra, onde o Arsenal o segue atentamente, apontam-no como o novo Cristiano Ronaldo. Na Alemanha, onde o todo-poderoso Bayern de Munique até já fez uma tentativa de contratação - prontamente desfeita por Luís Filipe Vieira que assumiu a aposta pessoal no jogador - dizem que será o sucessor natural de Franck Ribéry. Em Portugal, a expectativa, principalmente entre os benfiquistas, é grande.

O prémio do Sindicato foi apenas mais um reconhecimento do valor e talento de Gonçalo Guedes. Aliás, o #Benfica sabe bem o valor que tem em mãos.

Publicidade
Publicidade

Prova disso foi a renovação acertada com Gonçalo, que agora está contratualmente ligado ao clube até 2019 e com uma cláusula de rescisão no valor de 50 milhões de euros. Paulo Rodrigues, CEO da agência SuperStadium e agente do atleta, afirma que apesar do assédio, o "sonho do Gonçalo é afirmar-se na Luz".

Na Luz os adeptos anseiam por essa afirmação total, algo que Nélson Oliveira, André Gomes e Bernardo Silva, apesar de terem apontados como jogadores com grande potencial, não conseguiram. Este fim de semana há Taça de Portugal e crescem naturalmente as expectativas daqueles que querem ver o menino de águia ao peito, a encarar olhos nos olhos os adversários como fez na eliminatória com o Covilhã.

Gonçalo conta já com importantes momentos que têm marcado a sua ainda curta carreira.

Publicidade

Além da estreia pela equipa principal, num jogo da Taça de Portugal, com apenas 17 anos, o jovem fez parte do 11 ideal da UEFA Youth Champions League 13/14, competição onde ajudou o Benfica a alcançar a final. Já esta época, no Mónaco, Guedes esteve no banco de suplentes num jogo da Liga dos Campeões.

E não são só estes factos. Uma pesquisa em qualquer motor de busca leva-nos a vários golos. Alguns foram fabulosos, como o que apontou ao PSG de pontapé de bicicleta, outros decisivos como o que marcou, de livre directo, frente ao #Futebol Clube do Porto a poucos minutos do final de um jogo, garantindo a conquista do título nacional de juniores ao Benfica.