Lewis Hamilton, piloto da Mercedes, tornou-se campeão mundial pela segunda vez depois de 2008, este domingo ao vencer o Grande Prémio de Abu Dhabi de Fórmula 1. Já o seu companheiro de equipa, o alemão Nico Rosberg, sofreu problemas mecânicos e não foi além do 14º lugar. "É realmente o melhor dia da minha vida", disse Hamilton no pódio, ao lado da sua namorada Nicole Scherzinger, ex-vocalista das Pussycat Dolls, também ela muito emocionada. É como um sonho tornado realidade para o nativo de Stevenage. "Eu nunca pensei que esta temporada seria tão difícil. Havia muita pressão neste fim de semana e eu não dormi esta noite. Esta manhã eu fui correr e eu recebi uma massagem. Eu estava com medo de ficar cansado desta corrida", disse um pouco mais tarde o novo "double" campeão do mundo, em conferência de imprensa.


Rosberg ficou em segundo lugar atrás de Hamilton. Na primeira curva o inglês teve um começo melhor do que Rosberg, partindo ao seu lado na primeira fila. Em seguida, na volta 24, Rosberg começou a perder potência no motor, deixando Hamilton escapar. O alemão mergulhou na classificação, mas não deixou de insistir em terminar a corrida, vencida por seu rival.

Com a 11ª vitória da temporada, em 19 GP, Hamilton terminou a temporada 67 pontos à frente de Rosberg, pois os pontos foram duplicados para esta última corrida, pela primeira vez desde o Campeonato Mundial em 1950.

Recorde-se que, na sexta-feira, ambos os pilotos da Mercedes-AMG foram ligeiramente menos intocáveis na segunda sessão e o fosso com a concorrência foi reduzido para metade. Em vez de um segundo e meio, Hamilton conseguiu apenas oito décimos, se em comparação com o autor da terceira volta, o excelente iniciante dinamarquês Kevin Magnussen (McLaren), 10º no campeonato. O Top 6 da segunda sessão foi concluída pelos dois pilotos da Red Bull, Sebastian Vettel e Daniel Ricciardo seguindo-se o finlandês Valtteri Bottas (Williams). Como era a última sexta-feira da temporada de F1, três jovens condutores foram capazes de fazer a sua estreia na modalide. O mais rápido foi o Esteban Ocon francês (Lotus), 18, campeão da Fórmula 3 Europeia e autor da volta 16, apenas a três décimos de seu companheiro de equipe Pastor Maldonado, muito mais experiente do que este.