A RTP, televisão pública, apresentou à UEFA uma proposta de 18 milhões de euros para obter os direitos de transmissão televisiva dos jogos de #Futebol da Liga dos Campeões, para o triénio 2015-2018. De acordo com o jornal de Negócios, a proposta supera a apresentada pela da TVI, que se terá proposto a pagar menos, tendo assim perdido a "corrida." Ainda segundo o Negócios, que não indica qual a sua fonte, "a decisão não está formalmente fechada" mas sê-lo-á nos próximos dias e inclusivamente o canal já foi informado nesse sentido. O pacote da RTP deverá incluir 16 jogos e os respectivos resumos, mas o Negócios não esclarece se se trata de 16 jogos por ano ou no conjunto dos três anos.

Publicidade
Publicidade

A Media Capital (dona da TVI) declarou ao Expresso que, se for verdadeira, a proposta da RTP está 40% acima do que a própria Media Capital está disposta a oferecer. A empresa acusa a RTP de oferecer uma proposta não rentável e de estar a distorcer o mercado, em vez de o regular. Também José Alberto Carvalho aponta ser impossível à RTP rentabilizar o investimento, uma vez que os seus espaços publicitários são menores.

Em comunicado, o Conselho de Administração da RTP nega a situação. A RTP informa que o concurso para atribuição dos direitos da Champions ainda está a decorrer e que os valores apresentados pelo canal "não têm nada a ver" com os 18 milhões de euros veiculados. Adicionalmente, critica a "fonte anónima" da informação e "escusa-se a adjectivar" o comunicado da TVI.

Publicidade

A RTP havia transmitido a Liga dos Campeões no período 2010-2012, pagando 17,5 milhões de euros, mas o ministro Miguel Relvas, em pleno período da Troika, havia proibido a participação do canal público na renovação negociada em 2011.

Nas caixas de comentários dos jornais online, as reacções dos cidadãos não se fizeram esperar. No Expresso, um comentador referia que "pagamos uma taxa para embrutecer" e que a opção da RTP é a "política do pão e circo para poder esconder os profundos problemas que a sociedade enfrenta." Já nas caixas de comentários do jornal A Bola, a opinião dominante era de contentamento, com vários cidadãos a elogiar o trabalho de jornalistas do canal público, como José Nunes, Nuno Dias e António Tadeia, e declarando-se cansados dos "comentadores horríveis" da TVI.