Novak Djokovic já tinha, de fato, esmagado Tomas Berdych (Nº 6) por 6-2 6-2 em 69 minutos, na passada sexta-feira, celebrando a sua 13ª vitória consecutiva no Torneio Masters e sua 29ª vitória consecutiva em torneios disputados no interior. Nole, que perdeu apenas nove games em três jogos, validou ao mesmo tempo a classificação para as semifinais. O tenista Nº1 mundial, Novak Djokovic, classificou-se pela quarta vez na sua carreira para a final do Masters, dominando o japonês Kei Nishikori (Nº5) em três sets 6-1, 3-6, 6-0, este sábado, em Londres. Triplo vencedor do torneio (2008, 2012 e 2013), este domingo o sérvio tentará tornar-se no primeiro jogador a vencer três vezes consecutivas desde o americano Ivan Lendl (1985-1987).

Publicidade
Publicidade

Vai enfrentar o suíço Roger Federer (Nº2), que foi vencedor por seis vezes no Masters e que venceu Stan Wawrinka (Nº4).

Djokovic obteve assim a sua 14ª vitória consecutiva no Masters. O sérvio já não perde nesta competição desde a derrota para o compatriota Janko Tipsarevic em 2011, na fase de grupos. É uma série de 31 sucessos consecutivos no "interior". A sua última derrota nestas condições foi infligida pelo americano Sam Querrey em Paris-Bercy, em 2012. Depois de ter concedido somente nove jogos - um novo recorde para os Masters- nos seus três primeiros jogos, teve, no entanto, alguns problemas no sábado, o que aconteceu pela primeira vez no torneio.

Nishikori, o primeiro jogador asiático a jogar no Masters, foi-se exibindo durante horas no primeiro set, mas acabou por perdê-lo.

Publicidade

Recuperou bem ao vencer o segundo set, aproveitando a desaceleração no serviço de Djokovic, que não havia perdido um set desde que foi derrotado nas semifinais do Masters de Xangai 1000 para Federer, no mês anterior . O japonês forneceu então dois pontos de quebra no início do terceiro set, mas não conseguiu converter e o sérvio recuperou, correndo para a vitória.

Resta apenas saber o que acontecerá este domingo na tão esperada final que colocará frente a frente o sérvio Novak Djokovic (Nº1) e o suíço Roger Federer (Nº2) .