O atleta paralímpico Nuno Pontes, praticante de ténis de mesa, decidiu recorrer ao crowdfunding procurando condições para continuar a treinar e competir, com o objectivo de representar Portugal nos Jogos Paralímpicos de 2016, no Brasil. Pontes está a ser apoiado pela Associação Salvador, integrado na plataforma de angariação de fundos "Preencha esta vida", e até agora já beneficiou de donativos no valor de 25 por cento do total que necessita. Nuno Pontes pretende patrocínios para as suas provas de ténis de mesa adaptado, ele que dispõe de uma prótese na perna esquerda, depois de um grave acidente de moto, em 1995.

Actualmente com 39 anos, e natural da Feira, Ponte poderá ser o único representante nacional no ténis de mesa adaptado, nos Jogos de 2016 no Rio de Janeiro, que lutará para trazer o título de campeão para Portugal (como foi alcançado pelos seus colegas da selecção masculina da modalidade na final do último campeonato europeu). Sem apoios financeiros, paga do seu bolso para participar em competições. Quando, em 1995, sofreu o acidente de moto, era jogador de futebol.

"Com este apoio, terei certamente ainda mais garra e força para demonstrar a minha superação e o meu exemplo, assim como lutar pela ativação e dinamização do desporto adaptado em Portugal, o que resultaria na melhoria da vida de muitos deficientes como eu. Mais do ter perdido uma perna, ganhei um sonho", diz, na página online da Associação Salvador, onde está disponível a plataforma "Preencha esta vida".

Esta iniciativa da Associação Salvador arrancou em 2011, e tem sido de uma utilidade evidente, embora o momento de crise que o país atravessa não tenha ajudado. Nesse primeiro ano foram angariados um pouco mais de 55 mil euros, para apoiar 13 pessoas; no ano seguinte, foram beneficiadas 7 pessoas, com 35 mil euros; no ano passado, 22 mil, para 6 pessoas. A presente campanha arrancou em 28 de outubro passado e termina de 31 de janeiro de 2015.
Já durante este ano de 2014 foram financiados três projectos: uma scooter eléctrica para Maria do Céu, que lhe permite deslocar-se sem o auxílio de terceiros; um remo indoor para José Santos, que assim pode treinar-se diariamente para obter bons resultados na sua modalidade desportiva; e uma cadeira de rodas eléctrica para Gelson Fernandes, que assim ganhou alguma autonomia no seu dia-a-dia.