A dúvida está no ar. FC Porto e Benfica unidos? Jornalistas e adeptos estão intrigados com esta nova abordagem por partes dos dois clubes, mas haverá razão para tal ou estaremos, de facto, a presenciar uma mudança de atitude por parte dos seus dirigentes? Uma aliança entre os dois históricos clubes portugueses mudará o rumo do #Futebol português? Historicamente, FC Porto e Benfica são clubes rivais que nunca morreram de amores um pelo outro. Muitas são as histórias de picardias e desavenças entre ambos, mas com as recentes declarações dos seus presidentes, algo poderá ter mudado.

Com o clássico a bater a porta, esta aproximação entre os presidentes do FC Porto e do Benfica, Pinto da Costa e Luís Filipe Vieira, respectivamente, poderá retirar muito do dramatismo e do "perigo", que era já habitual nestes grandes jogos.

Publicidade
Publicidade

Com posições similares dos dois clubes, nomeadamente em relação à liderança da Liga e outras questões ligadas ao processo, muito dos seus adeptos não estarão naturalmente satisfeitos com estas novas posições. Entre os insatisfeitos está o Sporting, encabeçado pelo seu líder, Bruno de Carvalho, que já veio a público criticar esta nova "aliança", afirmando que " serve apenas para prejudicar o Sporting".

Numa inauguração, em Espinho, o presidente benfiquista não ficou sem resposta: "O futebol português esteve em risco, estivemos a poucas semanas de assistir a uma paragem nos campeonatos profissionais. Mas isso importou pouco aos que prosseguem com uma cruzada demagógica, populista e que nada ajuda à resolução dos problemas", revelou, aludindo a Bruno de Carvalho. "Tenho ouvido várias pessoas do futebol, comentadores e até jornalistas falar numa aliança do Benfica com A, B ou C, mas posso aqui garantir que a única aliança que temos é com os nossos adeptos, parceiros, patrocinadores e atletas", conclui Luís Filipe Vieira.

Publicidade

O clássico de hoje tem todos os condimentos para ser memorável. Apenas separados por três pontos e nas duas primeiras posições do campeonato nacional, esta paz aparente pode vir a ser passageira entre os dois clubes. Se houver casos ou problemas entre claques no jogo de hoje, os maus relacionamentos podem voltar. Mas será bom para o futebol português? Uma coisa é certa, a preparação para este clássico nunca foi tão calma e ordeira. E, só por isso, ficará para a história.