Depois de um início de época irregular do Portimonense, a equipa parece ter encontrado o seu trilho e tem subido degraus na tabela classificativa. Jornada a jornada, os algarvios têm conseguido minimizar a desvantagem que consentiram nas jornadas iniciais. Ricardo Ferreira tem sido uma das pedras basilares do xadrez alvi-negro. Hoje apresentamos a segunda e última parte da entrevista realizada ao jovem guarda-redes do Portimonense.

Blasting News: Depois de cinco anos ligado contratualmente ao Marítimo, o que significa, a nível de carreira, este ingresso no Portimonense?

Ricardo Ferreira: Para mim o interesse do Portimonense foi muito significativo. Posso mesmo dizer que fiquei muito feliz quando me foi apresentada a proposta para continuar depois de cá ter estado por empréstimo do Marítimo. O Marítimo é, sem dúvida, um grande clube, com excelentes condições, mas penso que o meu ciclo no clube tinha chegado ao fim. Depois de ter atingido o patamar mais alto - que foi ser titular da equipa A - fui cedido na época seguinte por não ter espaço no plantel. O interesse do Portimonense foi a oportunidade de regressar a uma terra e a um clube que me trata como a um filho. É claro que trouxe e carrego comigo as muitas conquistas e momentos felizes que tive no Marítimo.

BN: Quais os objectivos pessoais a curto e longo prazo?

RF: A minha prioridade é ajudar o Portimonense. Só se o colectivo conseguir atingir os objectivos é que posso pensar individualmente em conseguir os meus próprios. Senão, nada faz sentido. De nada me serve passar uma época inteira sem sofrer golos se a equipa também não conseguir marcar. Somos um conjunto e, nesta posição específica de guarda-redes, dependemos de tudo e de todos. Um avançado, mesmo que a sua equipa perca sempre 5-4 e ele faça 4 golos por jogo, destaca-se. A longo prazo o objectivo será sempre subir patamares na minha carreira para voltar, um dia, a representar Portugal, desta vez como internacional A.

BL: O Ricardo tem uma página pessoal no Facebook que é seguida por cerca de 2000 pessoas. O que é que isso representa para si enquanto atleta?

RF: É muito gratificante ver que existem tantas pessoas interessadas no meu percurso profissional. Pessoas que acompanham o atleta e o clube, que interagem, que por vezes chegam mesmo a dialogar comigo, partilhando o que lhes vai na alma e recebendo feedback. Nós, atletas, temos que estar cada vez mais perto dos adeptos e é isso que tento fazer através da minha página, que é gerida profissionalmente.

BN: Para finalizar, que mensagem para esses e outros adeptos do Portimonense e do Ricardo Ferreira.

RF: Neste momento difícil que o país atravessa, penso que temos que deixar uma palavra de esperança a todos. Desportivamente falando, e aos nossos adeptos, simplesmente peço confiança no nosso empenho e trabalho e que 2015 seja um ano de grandes conquistas, sempre com o apoio de todos os portimonenses. Porque juntos somos muito mais fortes. #Famosos #Futebol #Segunda Liga