FC Porto e #Benfica disputam no próximo Domingo, no Estádio do Dragão, o primeiro lugar da classificação, num dos jogos mais esperados de 2014. Num clássico que desperta ódios e paixões entre os adeptos dos dois clubes, qualquer que seja a posição classificativa, a diferença de três pontos entre azuis e encarnados, registada à 12ª jornada, vem aguçar ainda mais o apetite e a sede de vitória. Mais do que um impulso moralizador para o resto do campeonato, um triunfo neste jogo poderá ter um peso relevante nas contas finais da competição.

Assim, pode esperar-se um jogo um pouco expectante de Benfica e FC Porto no período inicial, com as suas linhas muito próximas, de forma a não correrem grandes riscos, numa partida que pode ser decidida pela inspiração individual dos excelentes intérpretes que vão atuar dos dois lados.

Publicidade
Publicidade

A responsabilidade maior está, de qualquer forma, do lado dos azuis e brancos que, ao perderem em sua casa frente ao principal rival, ficam a 6 pontos do 1º lugar. Diferença essa que poderá ser difícil de vencer, dado o domínio que nos últimos anos estes dois grandes do #Futebol português apresentam no confronto com as restantes equipas da liga.

Embora o empate mantenha os azuis colados ao Benfica, este seria visto também como uma oportunidade falhada de chegar ao topo da tabela e não agradaria à exigente massa associativa portista, que vibra mais do que nunca nos confrontos com o seu eterno rival. Daí que Lopetegui deva arriscar um pouco mais que o seu homólogo encarnado e apostar nos movimentos de Brahimi e Tello, tanto em profundidade como em diagonais rápidas entre os laterais e os centrais, para desequilibrar o jogo a seu favor.

Publicidade

Já para a equipa da Luz, um empate chegará para manter a equipa na liderança e, por isso, é provável que Jorge Jesus opte por um estilo de jogo mais cauteloso, à imagem do que vimos nos jogos da Liga dos Campeões, com Talisca a funcionar como terceiro médio, à frente de Samaris e Enzo Pérez, ao invés de se fazer alinhar com dois avançados, como vem sendo habitual.

Azuis e encarnados na máxima força

Depois das duas formações terem poupado os principais jogadores nos respectivos jogos europeus, a meio da semana, espera-se que ambos estejam ao seu melhor nível. Do lado portista, Casemiro, que chegou a estar em dúvida para o clássico, já foi dado como apto pelo departamento médico, enquanto nos encarnados, Talisca ainda assustou na partida frente ao Leverkusen, mas deu sinais de não ter passado disso mesmo, de um susto.

Fica ainda a curiosidade para ver até que ponto o desempenho surpreendente da segunda linha benfiquista, no último jogo da fase de grupos da Liga dos Campeões, poderá levar Jorge Jesus a chamar a jogo algum desses reforços improváveis, depois de o treinador benfiquista ter dado sinais claros, nos últimos jogos, de não confiar totalmente nas opções que dispõe no banco.