O piloto espanhol Fernando Alonso foi confirmado, nesta quinta-feira, como novo piloto da McLaren-Honda para a próxima época do Mundial de Fórmula 1. O anúncio oficial foi feito em Woking, em Inglaterra, pelo presidente executivo da McLaren, Ron Dennis e contou também com a presença do outro piloto da equipa, Jenson Button, que renovou contrato. Kevin Magnussen foi despromovido a piloto de reserva. O espanhol, que competiu na Ferrari desde 2010, afirmou estar entusiasmado com a mudança para a McLaren-Honda, equipa que já representara em 2007 e em que foi companheiro do britânico Lewis Hamilton, e pretende apresentar "resultados o quanto antes".

Publicidade
Publicidade

Para além disso, o piloto mostrou-se confiante relativamente à conquista do seu 3.º título da carreira (foi campeão com a Renault em 2005 e 2006) no Mundial de F1.

Elogios ao companheiro

Fernando Alonso aproveitou também a ocasião para deixar elogios ao seu novo companheiro de equipa, Jenson Button, apelidando-o de "profissional e muito rápido" e mostrou-se ansioso por trabalhar em conjunto com o piloto britânico para "ajudar a Honda e a equipa nesta nova etapa". Alonso, com 33 anos, e Button, com 34 anos, formam a dupla mais veterana que irá competir no próximo Campeonato Mundial de F1.

Apesar dos rumores que estaria de saída da equipa, o britânico Jenson Button, campeão em 2009, renovou contrato com a McLaren-Honda, iniciando assim a sexta época ao volante da equipa inglesa.

Publicidade

Button confessou estar "extremamente empolgado" por iniciar mais uma época na F1 e mostrou-se confiante na parceria com o piloto espanhol, ao ponto de afirmar que se irão esforçar para criar uma equipa "brilhantemente eficiente e vencedora".

Acordo há mais de um ano

O piloto espanhol afirmou que o acordo com a sua nova equipa já estava feito há mais de um ano e que teve de recusar várias propostas, "algumas delas muito tentadoras", para poder ingressar na equipa inglesa. Uma das razões que levou Alonso a preferir a McLaren às restantes equipas foi o retorno da parceria com a Honda. Esta foi uma colaboração com muito sucesso nas décadas de 80 e 90, nos tempos de Ayrton Senna e Alain Prost, e que pesou bastante na escolha do ex-piloto da Ferrari.

Durante a apresentação da equipa, o presidente executivo da McLaren, Ron Dennis, disse que a apresentação de Fernando Alonso não ocorreu mais cedo por atrasos na renovação com Jenson Button. A equipa inglesa pretendia apresentar os dois pilotos ao mesmo tempo.

Publicidade

Segundo informações da imprensa britânica, Dennis queria manter o dinamarquês Kevin Magnussen, que será piloto de testes e de reserva da McLaren em 2015, como um dos pilotos da equipa, porque tinha um ordenado mais baixo que Button. Contundo, estes rumores acabaram por não se confirmar e Ron Dennis fez questão de passar confiança à dupla Alonso-Button, afirmando que a McLaren mantém assim a tradição de "reunir a formação mais forte possível".

Alonso com salário milionário e a caminho da...Mercedes

Ainda não tinha sido confirmado na McLaren-Honda e já o jornal italiano "Gazzetta dello Sport" afirmava que Fernando Alonso estará a planear uma mudança para a Mercedes em 2017. Segundo a mesma publicação, Alonso pretende ficar dois ou três anos na McLaren e poderá rescindir contrato, caso a sua nova equipa não apresente um carro competitivo a partir de 2016. De acordo com a imprensa britânica, Fernando Alonso irá receber cerca de 32 milhões de euros por época, tornando-se assim um dos pilotos mais bem pagos da história da Fórmula 1.