Não aos fundos. Poderia ser este o slogan adoptado pela FIFA, entidade que tutela o #Futebol mundial, que parece agora mais determinada do que nunca em colocar um ponto final nos fundos de investimento no futebol já no próximo ano. Com o intuito de discutir esta temática, o Comité Executivo daquela instituição vai reunir-se ainda esta semana (quinta e sexta-feira), em Marraquexe. Recorde-se que os famigerados fundos de investimento alusivos à compra de jogadores já são proibidos em Inglaterra e França.

Michel Platini, presidente da UEFA e membro da FIFA, tem defendido de forma insistente nos últimos tempos que os jogadores não são "produtos financeiros" e que os fundos podem, inclusive, colocar em perigo a integridade das provas.

Publicidade
Publicidade

Para o antigo futebolista, considerado como um dos melhores de todos os tempos, "os fundos [que investem em jogadores] são muitas vezes baseados em paraísos fiscais e estruturas duvidosas", referiu em Outubro último, numa cimeira de ministros do Desporto da União Europeia, em Roma.

Caso a medida receba luz verde, os jogadores cujos passes pertençam a fundos de investimento têm um prazo de seis meses para regularizarem as situações. Terminado esse período de tempo, a FIFA reserva-se no direito de aplicar sanções aos prevaricadores.

Mundial de Clubes joga-se em Marrocos até sábado

Está a decorrer por estes dias, também na cidade de Marraquexe, a 11ª edição do Mundial de Clubes, prova organizada pela FIFA que reúne os seis campeões das confederações de futebol continentais. O Real Madrid, que participa na competição pela segunda vez na história, estreou-se ontem (terça-feira) com um triunfo fácil (4-0) frente aos mexicanos do Cruz Azul, em partida alusiva às meias-finais.

Publicidade

Sergio Ramos (15'), Karim Benzema (36'), Gareth Bale (50') e Isco (72') fizeram o gosto ao pé.

Na final do torneio - agendada para as 19h30 deste sábado -, os "merengues" vão defrontar o vencedor do encontro desta noite que opõe os argentinos do San Lorenzo, campeões em título da Taça Libertadores, aos neozelandeses do Auckland City, campeões da Oceânia. A bola começa a rolar às 19h30. Antes da segunda meia-final, tem lugar o jogo de atribuição de 5/6º lugar, que é disputado pelo ES Sétif, da Argélia, e Sydney Wanderers, da Austrália. O encontro começa às 16h30 e tem arbitragem do português Pedro Proença.