O Nacional, que já não vencia há três jogos, aproveitou a visita do seu principal rival para sair da "crise". Apesar de "dérbi ser dérbi" e o resultado ser imprevisível, como disseram os treinadores antes do jogo, a realidade é que, com a derrota de ontem, o Marítimo está há 7 épocas sem vencer na Choupana. A última vitória verde-rubra no terreno do Nacional aconteceu em 2007/08, mais precisamente a 12 de Novembro de 2007. Em 16 jogos disputados em casa, apenas por duas vezes o Nacional saiu derrotado frente ao Marítimo.

Ontem os alvi-negros não só bateram o Marítimo, como o fizeram pela maior diferença de sempre em jogos da primeira Liga entre os emblemas madeirenses.

Publicidade
Publicidade

Nunca um dérbi tinha sido decidido por três golos de diferença e ontem, ao vermos os 15 minutos iniciais, não parecia que fosse acontecer. Foi um jogo que arrancou lento, disputado essencialmente no meio campo e sem oportunidades de golo até aos 20'. A partir daí, o jogou mudou com oportunidades a surgirem de parte a parte, sempre travadas pelos ferros das balizas. Primeiro foram os da casa, por Rondón (24'), a acertarem na trave da baliza de Salin, com resposta pronta do Marítimo apenas um minuto depois, com um remate de Fransérgio a encontrar o poste da baliza de Gottardi. Aos 33', foi Maazou a disparar novamente ao ferro nacionalista.

As equipas foram para o intervalo empatadas a zero, mas era visível o maior domínio dos verde-rubros que, segundos antes do apito para o descanso, tiveram outra boa oportunidade de abrir o marcador.

Publicidade

O ex-maritimista Suk era um homem a menos na equipa do Nacional. Lento, sem agressividade e não parecendo disposto a grandes correrias, já não fez parte do esquema de Manuel Machado para o segundo tempo. O técnico nacionalista lançou William para o seu lugar e este, ao contrário do coreano, viria a dar muito trabalho à defesa do Marítimo.

Apenas 8 minutos depois de entrar em campo, o brasileiro Wiiliam (53') abriu o marcador a favor dos da casa. Um golo que abalou a equipa de Leonel Pontes. Daí para a frente, só deu Nacional, ou melhor, Marco Matias. O extremo fez o segundo do Nacional através da marcação de uma grande penalidade, aos 74', e aos 86' bisou carimbando a goleada ao rival. Apesar da derrota, o Marítimo continua na frente do Nacional na classificação, mas agora com apenas três pontos de vantagem. Os verde-rubros seguem na 10ª posição com 15 pontos, enquanto o Nacional é agora 12º com 12 pontos. #Futebol