Teve lugar na noite passada o derradeiro encontro da 11ª jornada da Liga. O Paços de Ferreira recebeu o Estoril com o objectivo de somar mais três pontos e, assim, se juntar a Belenenses e Braga na classificação. Mas o Estoril, ainda à procura do seu melhor na Liga, prometia dar trabalho. Deu e muito.

Depois do empate frente ao PSV, que lhe valeu a eliminação da Liga Europa, o Estoril deslocava-se a Paços de Ferreira, agora totalmente focado nas competições internas, à procura de um bom resultado. Os "canarinhos" tinham contra si o facto de terem jogado a partida frente aos holandeses há dois dias. Recordamos que quinta-feira o jogo foi interrompido devido ao mau tempo, sendo apenas retomada a segunda parte do desafio no dia seguinte, sexta-feira.

Publicidade
Publicidade

Além do pouco tempo de descanso, os jogadores do Estoril tiveram que defrontar o PSV num campo pesado e em condições climatéricas muito adversas.

Ainda assim, e apesar do favoritismo estar do lado da equipa da casa pelo que têm feito ao longo desta temporada no campeonato, foi o Estoril que entrou melhor no jogo, jogando mais no terreno do adversário mas sem que conseguisse criar situações de perigo. A partir dos 15 minutos iniciais, o Paços cresceu passando a ter maior domínio mas a grande oportunidade de golo surgiu a 1 minuto do intervalo quando Rúben Fernandes, isolado, permitiu a intervenção de Defendi.

O empate foi desfeito com apenas 4 minutos na segunda parte. Na transformação de um pontapé de canto, Tozé encontrou Rubén Fernandes no segundo poste e desta vez o defesa central português não perdoou.

Publicidade

Cinco minutos depois, o Estoril podia mesmo ter aumentado a vantagem por Kléber não fosse a excelente intervenção de Defendi a desviar a bola pela linha de fundo. Paulo Fonseca, insatisteito com o decorrer do jogo, resolveu mexer na equipa e tirou Urreta aos 65' colocando no seu lugar Edson Farias. E foi Farias quem encontrou, aos 73', o caminho para o golo, colocando de novo a igualdade no marcador.

Até ao final, oportunidades de lado a lado. Defendi, o melhor em campo, evitou por várias vezes que o Estoril chegasse ao segundo golo e, do outro lado, Kieszek, embora com menos trabalho, resolveu as situações que lhe foram surgindo. E quando o guarda-redes polaco não estava lá, esteve o poste que aos 87' evitou que Cícero desse a vitória aos da casa.

Um empate justo, apesar do maior número de oportunidades da equipa de José Couceiro, numa boa partida de #Futebol entre duas equipas que só queriam ganhar. O Paços de Ferreira é 7º com 19 pontos enquanto o Estoril é 11º com 11 pontos.