Dia triste, este domingo, para o #Futebol espanhol. Cerca de 200 adeptos do Atlético de Madrid e do Deportivo da Corunha envolveram-se em confrontos violentos, na véspera do jogo para o campeonato espanhol. Os conflitos começaram logo pela manhã junto ao Estádio do Atlético de Madrid, onde adeptos radicais das duas equipas iniciaram a luta com tudo o que tinham à mão, desde bastões, facas até pedras. Francisco José Romero, de 42 anos, adepto do clube da Corunha, foi atirado ao rio que passa junto ao estádio Vicente Calderón, acabando por falecer no hospital, não da queda ao rio, mas de traumatismos sofridos anteriormente; entre eles, vários golpes na cabeça e rutura do baço, segundo revelou a autópsia realizada esta segunda feira.

Publicidade
Publicidade

Destes conflitos resultaram ainda 12 feridos e 21 detidos.

Grupos como os que se envolveram nos confrontos deste domingo (entre eles Frente Atlético e Riazor Blues) usam o futebol como cobertura para as suas acções de violência usando as redes sociais para os encontros. Ambos os grupos apresentam já um histórico que envolve mortes. Não é a primeira vez que acontecem confrontos deste género junto ao estádio Vicente Calderón. No dia 8 de Dezembro de 1998, antes do jogo entre o Atlético de Madrid e o Real Sociedad, um grupo de ultras do Atlético encurralou Aitor Zabaleta e um deles desferiu-lhe uma facada que acabou com a vida do adepto do Real Sociedad. O autor foi condenado a 17 anos de prisão. Em Espanha, a violência entre “aficionados” resultou até agora em 9 mortos desde 1982.

Publicidade

O presidente da Liga de Futebol Profissional espanhola, Javier Tebas, já veio a público condenar estes atos e anunciou ainda medidas para combater a violência no desporto, entre elas a expulsão dos grupos violentos dos estádios de futebol, das instalações e a criação de unidades de prevenção da violência. O Atlético de Madrid vai agir categoricamente contra os envolvidos nos confrontos no último domingo, que são sócios do clube “colchonero”. Esta medida não excluirá outras sanções internas para o clube de Madrid. Apesar de tudo, e da LPF querer cancelar o jogo entre o Atlético de Madrid e o Deportivo da Corunha, o mesmo acabou por se realizar e terminou com a vitória do clube madrileno (2-0), golos de Saúl e do turco Arda Turan. O Atlético cumpriu com a sua obrigação ao ganhar o jogo, mas sem brilho, talvez por via do que se tinha passado fora do estádio horas antes. A alegria da vitória, essa ficou para outro dia.