Que Rajon Rondo não se sentia satisfeito na equipa dos Boston Celtics, pois a equipa não tem argumentos para discutir o título há vários anos, era algo conhecido por muitos. Mas decidir abandonar a equipa a meio da "regular-season" era algo inesperado. Um dos melhores bases da liga, e dos mais talentosos passadores da história, decidiu pôr um ponto final na sua, até então, equipa de sempre, onde jogava desde 2006, ano que foi "draftado". A Dallas saiu a fava, que com esta nova aquisição é, indiscutivelmente, um dos principais favoritos ao anel.

Dallas Mavericks, uma equipa de Texas, que na sua longa história conta apenas com um título de campeão em 2011, nunca foi, até à chegada do seu carismático dono Mark Cuban - sim, um dos investidores do famoso programa "Shark Tank" -, um dos destinos de eleição para os jogadores de elite.

Publicidade
Publicidade

Considerada a eterna segunda equipa do estado, pois os San Antonio Spurs são umas das melhores equipas de sempre, Dallas limitava-se a concorrer todos anos pelos últimos lugares dos playoffs. Só que, com a chegada do dinheiro e dos objectivos ambiciosos do multimilionário Cuban, a equipa ganhou um relevo que nunca teve durante a sua história.

Actualmente, a equipa dos Mavs tem vindo, confortavelmente, a solidificar um bom lugar nos playoffs deste ano, estando com um recorde de 19-8, até à data. Contando com nomes de peso - alguns ainda da formação campeã em 2011 -, Rajon Rondo poderá trazer aquilo que faltava ao jogo da equipa: circulação de bola, procura de espaços e muita criatividade. Se não existirem lesões, o cinco inicial será, a partir de agora, constituído por uma turma que tem tanto de talentosa como de perigosa.

Publicidade

Dirk Nowitzki, Tyson Chandler, Rajon Rondo, Monta Ellis e Chandler Parsons prometem ser as peças principais no ataque ao anel.

Rajon Rondo, norte-americano de 28 anos, apesar de nunca ter sido campeão, conta com já com uma carreira recheada de "highlights". Não é um lançador de primeira linha, nunca foi e provavelmente nunca será, mas na arte de assistir não há melhor na NBA. Uma das grandes super estrelas da liga conta com uma média de 8,4 assistências por jogo, durante toda a sua carreira. Joga e principalmente faz jogar. E com tanto talento a lançar por parte do resto da equipa dos Dallas, a sua função será mesmo assistir os colegas. Será ele a peça que faltava no puzzle da equipa, para a tornar uma séria candidata?