A crise instalou-se definitivamente em Alvalade. Depois dos primeiros ecos de tensão entre o presidente, Bruno de Carvalho, e o treinador Marco Silva, a reunião de segunda-feira foi dura. Ao todo, mais de quatro horas de confronto verbal e um extremar de posições. A cisão, de resto, ficou patente publicamente logo após a derrota com o V. Guimarães (0-3). A última semana serviu, apenas e só, para agudizar a tensão e extremar posições, com trocas públicas de recados entre ambos.

A permanência de Marco Silva no comando técnico do Sporting é, nesta altura, um cenário muito pouco provável. E, nos gabinetes da SAD, já se estuda a sucessão.

Publicidade
Publicidade

Nesse sentido, o 'Blasting News' sabe que, caso Marco Silva acerte a rescisão - processo que poderá complicar-se, uma vez que o treinador assinou por quatro temporadas, no valor de 500 mil euros cada, pelo que a indemnização será quase de 2 milhões de euros -, o sucessor está escolhido: Vítor Pereira.

O antigo treinador do FC Porto, que após a experiência na Arábia Saudita está atualmente desempregado, já tem mesmo um pré-acordo com Bruno de Carvalho, apurou o ´Blasting News´. O documento, porém, diz apenas respeito à próxima temporada mas, tendo em conta o clima que se vive em Alvalade, a decisão pode ser antecipada já para o início de 2015.

Esta semana tudo ficará definido e muito do que havia a discutir foi tratado numa reunião que teve lugar ontem, segunda-feira, entre Bruno de Carvalho e Marco Silva.

Publicidade

São várias as divergências em diversos dossiers, nomeadamente no que a reforços diz respeito. Este é, aliás, um tema que nunca gerou consenso entre ambos, desde o início da época. Recorde-se que o presidente do #Sporting chamou a si a responsabilidade de formar o plantel e nunca Marco Silva foi consultado no que ao mercado diz respeito.

Agora, com a reabertura da janela de transferências, o treinador do Sporting voltou a alertar para a necessidade de equilibrar o plantel, nomeadamente com a contratação de um central experiente (os nomes de Bruno Alves e Ricardo Costa foram sugestões de Marco Silva) e de um avançado, face à ausência de Slimani, ao serviço da Argélia no CAN. Do outro lado, porém, a resposta foi dada e não em privado: num comunicado lido, sem direito a perguntas, Bruno de Carvalho fez questão de dizer que os reforços de janeiro sairão da equipa B e dos reforços de verão que ainda não foram utilizados. #Futebol