Noutros tempos o #Benfica esteve perto de adquirir jogadores de grande valor internacional: Romário, Luís Figo, Ronaldinho Gaúcho e Robert Pires. Figuras de inquestionável valor, que escaparam ao clube da Luz quase sempre por exigências financeiras dos atletas ou dos próprios clubes, quando tudo parecia estar bem encaminhado. Romário era garantia de golo, mas também de polémica. Em 2003, confessou à TVI que esteve muito perto de assinar pelo Benfica: "Há alguns anos estive quase para vir jogar no Benfica. O Benfica é um dos grandes clubes na Europa e teria sido um prazer, mas infelizmente não aconteceu".

Ronaldinho Gaúcho foi outro dos "génios" brasileiros que também esteve quase a jogar de águia ao peito.

Publicidade
Publicidade

Em 2003, o então treinador espanhol do Benfica, José António Camacho, pediu a Luís Filipe Vieira a contratação deste reforço de peso. Ronaldinho atuava no Paris Saint-Germain. O jogador tinha tudo acertado com o Benfica, mas as elevadas questões financeiras exigidas à última da hora pelo clube parisiense fizeram abortar o negócio. A segunda investida aconteceu já na era de Jorge Jesus, em 2010. O técnico português desejava contar com o craque, que então jogava em Milão. Naquele ano, uma fonte anónima disse ao Diário de Notícias, que a transferência dependia de "uma conjugação de factores. (...) Será preciso convencer Ronaldinho a baixar o salário e optar por fazer mais um ou dois anos no Benfica antes de regressar ao Brasil".

Considerado o melhor jogador do mundo em 2001, Luís Figo, após conquistar mundial de sub-20 com a seleção portuguesa, considerou abandonar o Sporting e rumar à Luz: "Surgiu o interesse do Benfica e, por estar zangado com a minha situação e também fruto de alguma imaturidade, pensei corresponder ao interesse do Benfica (...) ", confessou ao Jornal Público em 2011.

Publicidade

O luso-francês Robert Pires revelou em 2009 ao Aujourd'hui a sua simpatia pelo Benfica: "O Benfica é uma lenda do #Futebol português. (...) E depois, é o clube do meu pai! Por isso, é o único clube português onde eu podia jogar". Em 2009, Robert ainda sonhava vestir a camisola das águias: "Acabo de prolongar por um ano com o Villarreal, mas se em 2010 o Benfica me quiser, por que não?"

O atual jogador FC Goa revelou em 2014 ao Observador que esteve muito perto de assinar pelo Benfica por... duas vezes. A primeira oportunidade foi rejeitada, algo de que se arrepende: "Tive essa oportunidade quando tinha 20 anos e estava em França com o Metz. Mas vou ser sincero. Não quis jogar pelo Benfica. Era um grande de Portugal, um grande da Europa, e eu achava que, naquela altura, com aquela idade, era grande demais para mim. Tinha acabado de sair da formação do Metz e quando ouvi que o Benfica me queria contratar fui logo contar ao meu pai. Mas era demasiado grande. Portanto fiquei em França, depois fui para o Marselha e, uns anos depois, acabei no Arsenal. Em 2007/2008, quando estava no Villarreal, só não aconteceu porque renovei com o clube espanhol".