São dias agitados os que se vivem em Camp Nou, com o Barcelona a anunciar esta segunda-feira ter rescindido contrato com o até então director desportivo, Andoni Zubizarreta. Na ressaca da derrota por 1-0 frente à Real Sociedad, o antigo capitão Carles Puyol, assistente de “Zubi” também saiu, falando-se cada vez com mais insistência que o próximo será o treinador Luís Enrique, que está de costas voltadas com Lionel Messi. O facto da estrela argentina ter sido relegada para o banco de suplentes veio agudizar uma relação que estava por um fio.

Esta segunda-feira Messi falhou mesmo o habitual treino no dia de Reis aberto ao público, onde estiveram cerca de 11 mil espectadores presentes.

Publicidade
Publicidade

O Barcelona apressou-se a explicar que o argentino se viu a contas com um problema gástrico, tendo o próprio anunciado a sua tristeza por não ter estado presente. “Queria muito ter estado do treino. Nunca faltei a este dia de Reis, mas estes contratempos não se podem controlar. Desejo que os sonhos de todas as crianças se concretizem”, escreveu Messi nas redes sociais. Messi também não esteve presente na visita que o plantel realiza aos hospitais da cidade de Barcelona por ocasião desta época festiva, reforçando os rumores de uma possível saída do camisola 10 dos catalães.

Em Espanha, os ecos da existência de problemas entre treinador e jogador são cada vez maiores, o que terá mesmo levado a direcção do Barça a fazer um ultimato a Luís Enrique - ou vence os próximos dois jogos frente a Atlético de Madrid e Elche, ou será despedido.

Publicidade

Segundo noticia do jornal Mundo Deportivo, os problemas entre o astro argentino e o treinador já vêm de trás, mas pioraram recentemente durante um treino, no qual Luís Enrique era o árbitro do jogo não assinalando uma falta sobre Messi. A juntar a esta pequena quezília e à derrota de ontem, está a condição de suplente de Messi, Neymar, Dani Alves e Piqué no Estádio Anoeta, o que veio piorar ainda mais a relação já de si tensa entre treinador e plantel. Os próximos dois jogos serão determinantes para o futuro do Barcelona e de Luís Enrique, que sabe melhor que ninguém que não basta vencer, será preciso também convencer. #Futebol