Cristiano Ronaldo regressou aos treinos no Real Madrid como um verdadeiro herói depois de ter ganho a Bola de Ouro pelo segundo ano consecutivo. A estrela portuguesa exibiu o seu reluzente troféu ao treinador Carlo Ancelotti e aos seus companheiros, após ter batido a concorrência de Lionel Messi e Manuel Neuer para se sagrar o melhor jogador do mundo pela terceira vez. Mas houve mais motivos para festejar em Valdedebas. A CR7 juntaram-se James Rodríguez, Toni Kroos e Sergio Ramos, que também foram premiados na gala de segunda-feira à noite, em Zurique, na Suíça.

O colombiano, que chegou ao Santiago Bernabeu este Verão, ganhou o Prémio Puskas para melhor golo ano, graças a um sensacional disparo do meio da rua no jogo contra o Uruguai do Campeonato do Mundo do Brasil.

Publicidade
Publicidade

Ramos e Kroos, por seu turno, foram escolhidos para o 11 ideal da FIFA, juntamente com Angel di Maria, que este Verão se transferiu do Real para o Manchester United.

De fora desta verdadeira maré de prémios ficou o técnico Carlo Ancelotti, apesar de ter levado os merengues à conquista da tão ambicionada décima Liga dos Campeões. A distinção foi para o alemão Joachim Low, campeão do mundo com a selecção bávara.

Ronaldo era o claro favorito para conquistar a Bola de Ouro após um ano excepcional em que marcou 61 golos entre o clube e a selecção portuguesa, fez 22 assistências e ganhou nove troféus, entre prémios individuais e colectivos. Foi decisivo na conquista da Champions pelo Real, alcançada em Lisboa frente ao rival Atlético de Madrid em Maio. O Real ganhou ainda a Taça do Rei, a Supertaça Europeia e o Campeonato do Mundo de Clubes.

Publicidade

Com uma média de um golo a cada 62 minutos, CR7 foi também o melhor marcador da Liga espanhola.

Cristiano foi um claro vencedor, com 37.66 por cento do total de votos feitos por um painel composto por capitães, treinadores e membros da imprensa de todas as associações filiadas na FIFA. Messi foi segundo com 15.76 por cento, pouco mais do que Neuer (15.72).

De fora, ficou a cabeçada do holandês Robin van Persie e a obra de arte da jogadora de #Futebol feminino Stephanie Roche. Por último, Ramos e Kroos ocuparam os seus lugares no melhor 11 do ano, juntamente com Neuer, David Luiz, Thiago Silva, Lahm, di Maria, Iniesta, Messi, Ronaldo e Robben.