Ao segundo dia, nova vénia aos pilotos portugueses que tão bem ostentam as cores nacionais nas suas motos e carros pelos trilhos da Argentina. Começamos pelas duas rodas, onde Paulo Gonçalves fez novamente o segundo melhor tempo da etapa a 6m13s do vencedor, deixando cada vez mais claro que o piloto da Honda está neste Dakar para vencer. Quem também esteve em destaque foi Rúben Faria, que ficou em terceiro, mostrando um ar da sua graça. Já Hélder Rodrigues, ainda a recuperar de uma recente fractura na clavícula, terminou esta etapa em 7º e Mário Patrão em 31º.

No que toca à classificação geral, mudança de líder nas motas com o espanhol Joan Barreda a saltar para a liderança, aproveitando o facto de Sam Sunderland se ter perdido durante mais de duas horas.

Publicidade
Publicidade

Em segundo está Paulo Gonçalves a 7m11s do líder; Hélder Rodrigues está em 8º, já Mário Patrão é agora 35º da geral.

Esta tirada - a mais longa deste Dakar - que ligou Villa Carlos Paz e San Juan e que teve 518 quilómetros cronometrados, teve em Carlos Sousa, nos carros, o 9º melhor tempo da etapa, terminando com mais 21 minutos do que vencedor, Nasser Al-Atiyah, que voltou a vencer uma etapa, depois de ontem ter sido penalizado pela organização. Sousa não escondeu o contentamento pela boa prestação: "Foi uma etapa especial particularmente dura e exigente do ponto de vista físico, num dia em que as temperaturas foram particularmente elevadas. Puxámos o carro até ao limite e, honestamente, mais não conseguíamos fazer", afirmou o português. Ainda nas quatro rodas, Filipe Palmeiro foi 17º na etapa e é 18º na geral e Leal dos Santos 29º na etapa e é agora 26º na geral.

Publicidade

Foi um dia em que os termómetros chegaram em alguns pontos aos 40 graus, e onde, por exemplo, o SMG de Adam Malyzs ardeu por completo, tendo o polaco abandonado a competição logo no segundo dia de prova em terras argentinas. Muitas foram igualmente as queixas por causa do percurso muito acidentado, mas que felizmente não causou problemas de maior nos veículos.

Amanhã os motores voltam a trabalhar com a etapa a ligar San Juan a Chilecito com 284 quilómetros cronometrados nos carros e 220 para as motos. #Automobilismo