Segue a toda a velocidade a prestação de Paulo Gonçalves (Honda) nos acidentados terrenos argentinos. Na 3ª etapa, e depois de dois segundos lugares, Speedy fez esta 3ª feira o 5º melhor tempo da etapa, a 2m49s do vencedor do dia, o austríaco Matthias Walkner. Na geral, o piloto de Esposende mantém-se logo atrás do espanhol Bort Barrega, tendo apenas 5m33s de atraso, mas no top 10 das motos há mais dois portugueses presentes, Hélder Rodrigues (KTM) e Rúben Faria (Honda).

Numa especial de 220 quilómetros que ligou San Juan e Chilecito, Paulo Gonçalves reforçou a boa prestação e elogiou o líder do Dakar e colega de equipa Bort Barreda : "Estamos na liderança (Honda), o Barreda está a fazer um excelente trabalho e eu também. Estou em segundo, se conseguirmos continuar assim até ao fim será um excelente resultado. Continuamos na luta, está a ser um bom rali. Muito difícil, exigente, mas tanto eu como a minha Honda CRF 450 Rally temos estado à altura", afirmou o piloto luso à sua assessoria de imprensa.

Publicidade
Publicidade

Já em relação aos restantes portugueses nas duas rodas, Hélder Rodrigues foi 15º na etapa com 7m01s de atraso para o vencedor, estando no 9º lugar da geral a 18m34s do líder. Já Rúben Faria foi 7º a 3m26s de Walkner e é agora 5º da geral a 12m10, tendo sido ultrapassado pelo campeão em título Marc Coma. Mário Patrão (Suzuki) foi 30º a 20m29s e é agora 33º da geral a 1h28m21s de Barreda.

Nos carros, a etapa foi ganha pelo argentino Orlando Terranova (Mini) numa especial de 284 quilómetros, na qual Ricardo Leal dos Santos foi o melhor português no 17º posto a 23m25s do primeiro, na geral o piloto da Nissan é 22º a 1h35m do líder. Quem terminou logo atrás foi Carlos Sousa (Mitsubishi) a 24m06s, na geral manteve o 9º lugar a 41m52s de Al-Attiyah (Mini). O piloto do Qatar foi esta terça-feira o 5º mais rápido, tendo agora apenas 5m18s de vantagem para De Villiers (Toyota).

Publicidade

Esta 3ª etapa fica no entanto manchada pela morte de Michal Hernik. O motard polaco foi encontrado sem vida junto ao quilómetro 206 na Cuesta del Miranda, tendo sido localizado por um helicóptero de assistência médica. As razões que ditaram a sua morte são ainda desconhecidas, naquela que foi a 24ª vez que um piloto perdeu a vida no Dakar, a quinta em terras sul-americanas. Apesar deste infortúnio, a prova continua a grande ritmo já esta quarta-feira com a entrada no Chile, num total de 909 quilómetros de extensão e que terá a chegada de um novo denominador, a altitude. #Automobilismo