Bis para Portugal nas duas rodas! Depois da 'Estrelinha' de Hélder Rodrigues, eis que Paulo Gonçalves venceu a 7ª etapa do Dakar 2015, levando a melhor sobre Marc Coma por somente 14 segundos. Na primeira metade da etapa maratona nas motos, na qual os pilotos não podem receber qualquer assistência mecânica das equipas, "Speedy" acelerou e foi feliz ao conquistar a sua segunda vitória da carreira neste rali. No final dos 321 quilómetros cronometrados ao redor do Salar de Uyuni, Paulo Gonçalves reagiu ao triunfo na especial: "Entrei da melhor forma nesta segunda metade. Consegui chegar à frente da corrida nos primeiros quilómetros e ganhar tempo aos meus adversários mais directos. Senti-me bem, ataquei e foi muito bom vencer a etapa. Tudo está em aberto, é preciso concentrar nos próximos dias até à chegada a Buenos Aires", afirmou "Speedy" Gonçalves.

Publicidade
Publicidade

Além do triunfo, o motard luso beneficiou ainda da queda do líder da geral, Joan Barreda, que permitiu ganhar 6m13s ao espanhol, estando agora a 10m59s do primeiro. Já Marc Coma, que está na vice-liderança, está a 6m28s de distância, o que vai apimentar a luta pelo trono nas duas rodas. Ainda nos portugueses, Hélder Rodrigues, que ontem ganhou a especial, foi este domingo o 8º a 4m05s do compatriota, sendo agora sexto da geral. Quanto a Rúben Faria voltou a ter um dia menos bom, cotando-se como o 14º da tirada, a 6m41s de Paulo Gonçalves, caindo para 8º: "Voltou a não ser um dia fácil, mas todos neste Dakar têm sido exigentes. Hoje apanhei muita chuva e lama e subi aos 3500 metros de altitude. Na fase final, com muita chuva e lama segurei um pouco o andamento para não arriscar uma queda. Amanhã regressamos a Iquique e com a chuva que continua a cair não vai ser fácil. Felizmente a minha moto está impecável e amanhã o objectivo é chegar a Iquique", afirmou Rúben Faria na sua assessoria de imprensa.

Publicidade

Nos carros, Carlos Sousa voltou a ter problemas com a suspensão do seu Mitsubishi mas que não impediram o piloto português de terminar a segunda parte da etapa maratona com o 10º melhor tempo do dia, mantendo o 9º posto da geral. Na véspera do descanso para os automóveis e com o maior deserto de sal do Mundo como cenário, Carlos Sousa fez um balanço elucidativo da tirada deste domingo: "Foi um dia longo, mas relativamente tranquilo, já que não tivemos as surpresas da véspera, quando a chuva e a lama nos obrigaram a três paragens na pista para limpar o pára-brisas do carro. Pelo contrário, hoje encontrámos muito calor no regresso ao Chile e o físico já se começa a ressentir após uma semana de corrida. Amanhã é finalmente o dia de descanso e a prioridade é tentar encontrar uma solução para os problemas de suspensão que nos têm atormentado desde há quatro dias", afirmou o experiente luso. Já Ricardo Leal dos Santos assinalou este dia com o regresso ao top 20, ultrapassados que estão os problemas da véspera.

Publicidade

Amanhã o dia segue apenas com as motos e quads enquanto os carros e camiões vão ter a folga merecida. #Automobilismo