Se os ordenados valessem títulos, o campeão nacional 2014/2015 estava encontrado: o FC Porto. Uma investigação do 'Blasting News', que reuniu os diversos dados financeiros dos três principais clubes portugueses, bem como os últimos relatórios enviados à CMVM, chegou a essa conclusão. O FC Porto é clube que mais gasta em salários no campeonato português.

E, olhando para o exemplo, não só de Portugal mas da Europa, o fator financeiro parece ser praticamente infalível. Na última época o Benfica, campeão de salários, foi mesmo o... campeão nacional. Lá por fora, a tendência manteve-se: Juventus (Itália), Bayern Munique (Alemanha), Ajax (Holanda), Manchester City (Inglaterra) e Paris Saint-Germain (França) eram os líderes no que a ordenados diz respeito nos respetivos países.

Publicidade
Publicidade

A exceção deu pelo nome de Atlético de Madrid, cuja folha salarial era inferior a Real Madrid e Barcelona no campeonato espanhol.

Olhando esta temporada, para o relatório e contas dos três grandes do #Futebol português, o FC Porto surge na liderança da folha salarial. Os dragões, agora orientados por Julien Lopetegui, gastaram cerca de 15,5 milhões de euros com pessoal no primeiro trimestre da temporada. Fazendo as contas por alto, 90 por cento do valor total diz respeito a jogadores e treinadores, o que dará uma despesa trimestral, em salários, na ordem dos 14 milhões de euros.

Transportando a folha trimestral para a temporada, o FC Porto pode gastar cerca de 55,8 milhões de euros, esta temporada, com o seu atual plantel.

Já no que diz respeito ao atual campeão, o Benfica, o relatório apresentado menciona 14,4 milhões de euros de gastos com pessoal no primeiro trimestre de atividade da época.

Publicidade

Indo novamente aos 90 por cento para jogadores e treinadores, serão cerca de 13 milhões de euros por trimestre.

Multiplicando, tal como aconteceu no caso do FC Porto, por quatro trimestres, os encarnados deverão gastar, esta temporada, 52 milhões de euros com o plantel atualmente orientado por Jorge Jesus.

Finalmente, no que diz respeito ao Sporting, e já com base na restruturação financeira levada a cabo por Bruno de Carvalho, os leões tiveram gastos salariais no primeiro trimestre na ordem dos 5,6 milhões de euros. Utilizando o mesmo cálculo efetuado com FC Porto e Benfica, o clube de Alvalade, com os tais 90 por cento para jogadores e treinadores, excluindo assim o restante pessoal, gastou 5 milhões de euros nos primeiros três meses.

Multiplicando pelos quatro trimestres, o Sporting gastará, esta temporada, com o plantel liderado por Marco Silva, algo como 25 milhões de euros, bastante distante dos seus rivais mais diretos. #F.C.Porto