António Félix da Costa venceu a quarta corrida da primeira temporada da Fórmula E, a "fórmula 1" em que os carros são eléctricos. O Grande Prémio disputou-se em Buenos Aires, capital da Argentina, no Sábado, 10 de Janeiro. O piloto português soma assim uma vitória assinalável para a sua carreira, depois de ver gorado o sonho de participar na Fórmula 1, sem hipóteses de conseguir patrocínios milionários como os do russo Daniil Kvyat. Félix da Costa é agora sexto no campeonato de pilotos, com 29 pontos.


Félix da Costa largou da oitava posição da grelha de partida e conseguiu ganhar dois lugares de imediato. Quando Karun Chandhok (ex-piloto de F1) forçou a entrada do safety-car, Félix da Costa aproveitou para fazer a sua paragem nas boxes, e a manobra estratégica valeu-lhe a subida ao quarto lugar. E esse era o local ideal para aproveitar os erros dos pilotos que seguiam à sua frente. Primeiro, o pole position Sebastien Buemi bateu na mesma chicane onde Chandhok tinha batido, e desistiu da mesma forma. A liderança sobrou para Lucas di Grassi, líder do campeonato, mas na volta 27 o brasileiro bateu também na mesma chicane. Sobrou Nick Heidfeld, com Félix da Costa já no segundo posto, e a três voltas do fim a Organização da corrida penalizou o piloto alemão com uma penalização "drive-through" por excesso de velocidade nas boxes. No final, ouviu-se "A Portuguesa" no pódio argentino. Félix da Costa ficou rodeado de dois grandes apelidos da história da F1: Nicolas Prost em segundo e Piquet Jr. em terceiro. Apesar do abandono, Lucas di Grassi mantém-se na liderança do campeonato, que ocupa desde que venceu a primeira prova, com 58 pontos.


A Fórmula E, com um conceito inovador baseado em carros de fórmula equipados com motores eléctricos, está na sua primeira edição. A competição disputa-se integralmente em pistas citadinas/urbanas, como o Mónaco, o que é também um aspecto inovador relativamente a outras competições automóveis. Os motores desenvolvem 270 cv, com os carros a irem dos 0 aos 100km/h em três segundos e alcançando uma velocidade máxima de 220 km/h. Vários ex-pilotos de Fórmula 1 participam, desde os mais veteranos como Jarno Trulli e Nick Heidfeld até outros que tiveram uma participação mais curta, como Nelson Piquet Jr. e Bruno Senna. O calendário espalha-se entre 2014 e 2015, à semelhança dos campeonatos de futebol e outras modalidades, e também ao invés do que é habitual no desporto automóvel, que se realizam de acordo com ano civil.
#Automobilismo