É considerado a “jóia da coroa” da formação do Cruzeiro. Léo Bonatini, de 20 anos, vai reforçar o Estoril- Praia a título de empréstimo, mas no Brasil o seu nome faz correr tinta pelos piores motivos. Na noite de 30 de Dezembro, teve um acidente, tentou fugir da polícia mas acabou por capotar depois de perder o controlo da viatura, acabando detido. Para ajudar à “festa”, o excesso de álcool no sangue levou o craque para a esquadra, de onde apenas saiu sob o pagamento de uma fiança de cerca de 3 mil euros.

Além deste valor, o atacante ficou sem carta de condução, tendo ainda de pagar uma multa no valor de quase 600 euros, referentes à Lei Seca brasileira.

Publicidade
Publicidade

Segundo noticiam os media locais, Léo Bonatini ter-se-á recusado a ceder provas de ADN, tendo “acedido” a fazer somente o “teste do balão”, que acusou álcool no sangue. A caminho de Portugal, o jovem brasileiro vai agora responder a dois processos. Um administrativo, devido à cassação da carta de condução durante 12 meses, e outro criminal, por conduzir embriagado, tendo colocado a vida de terceiros em risco.

Segundo informa a Polícia Militar de Belo Horizonte, o acidente ocorreu quando Léo Bonatini tentou fugir de uma brigada de trânsito. De acordo com a corporação, o brasileiro tentou escapar em alta velocidade, mas numa curva bateu num outro veículo que estava estacionado e capotou. O futebolista ainda tentou fugir a pé, mas acabou detido. O Cruzeiro, o seu clube e actual bicampeão brasileiro, preferiu não comentar o acidente e consequente prisão do atacante, dizendo apenas que “não comenta a vida particular dos jogadores”.

Publicidade

Léo vai viver no Estoril de José Couceiro a segunda experiência no #Futebol da Europa, depois da passagem menos conseguida em 2012/2013 pelos juniores da Juventus. Com faro pelo golo, tem no currículo a disputa de um Sul-Americano e de um Campeonato do Mundo pelo Brasil, competição na qual foi coroado como melhor marcador do Escrete. É com este selo de goleador, mas também com o rótulo de problemático fora das quatro linhas, que se vai apresentar na Amoreira para fazer concorrência a Kléber e companhia.