A espanhola Laia Sanz, de 29 anos, acabou por fazer história no Dakar que terminou este fim de semana. Laia tornou-se na mulher com a melhor classificação de sempre, em duas rodas, na história da prova. As previsões que a davam como uma séria candidata a ficar nos dez primeiros lugares, depois de se saber que iria correr com uma Honda oficial, bateram certo. A piloto catalã acabou na 9.ª posição.

Antes deste feito conseguido pela piloto espanhola, a melhor classificação nas motos, conseguida por uma mulher, pertencia à francesa Christine Martin, que alcançou a 10.ª posição em 1981. Existem cada vez mais mulheres a participar em desportos motorizados, principalmente em duas rodas.

Publicidade
Publicidade

Mas não se julgue que o percurso tem sido fácil para as mulheres que querem entrar neste "mundo de homens". Os desportos de motor sempre foram considerados historicamente como "pouco femininos" e conservam uma imagem de deporto masculino muito enraizada, pelo que a presença de mulheres como pilotos, integrantes de equipas, foi sempre muito menor que a dos homens.

Para alguns homens, serem superados por uma mulher, continua a ser, apesar de cada vez menos, uma "desonra", e acham mesmo que as mulheres podem receber manifestações de desprezo e desconsideração, pelo que são pouco incentivadas a ingressar e permanecer nesse ambiente. Inclusivamente no início desta década, a quantidade de pilotos femininos nas principais categorias de automobilismo e motociclismo foi ainda muito escassa. Por outro lado, e apesar de todos os entraves existente, nos últimos tempos, essa tendência tem vindo a ser alterada e o número de mulheres nos desportos motorizados tem vindo a aumentar, bem como a presença feminina nas coberturas jornalísticas desses desportos.

Publicidade

Quanto ao Dakar, este ano, participaram nove mulheres, números um pouco abaixo de anos anteriores, que chegaram a atingir as 13 participantes femininas. O espanhol Marc Coma foi o vencedor do rally em moto pela quinta vez na sua carreira e pelo segundo ano consecutivo. Quanto aos portugueses, Paulo Gonçalves terminou a prova em 2.º lugar, Ruben Faria foi sexto classificado e Hélder Rodrigues acabou em décimo segundo. Nos automóveis, o vencedor foi Nasser Al-Attiyah e o português Carlos Sousa terminou na oitava posição. Rodrigo Leal dos Santos foi o 25.º classificado.