É a notícia que está a marcar o dia de hoje: Luís Figo, um dos melhores futebolistas portugueses de todos os tempos, anunciou esta quarta-feira que é candidato à presidência da FIFA, organismo máximo que tutela o #Futebol mundial. Recorde-se que, além de Figo, também o antigo internacional francês David Ginola já havia anunciado no passado dia 16 que será um dos concorrentes de Joseph Blatter, presidente daquela instituição desde 1998. As eleições estão marcadas para o próximo dia 29 de maio. Fernando Gomes, presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), já declarou apoio ao jogador mais internacional de sempre pela selecção das quinas.

Publicidade
Publicidade

Em entrevista à cadeia de televisão norte-americana CNN, publicada esta quarta-feira, Luís Figo, vencedor da Bola de Ouro em 2000, justifica a candidatura à presidência da FIFA uma vez que está "preocupado com o futebol". Mais do que isso, o antigo capitão da selecção portuguesa disse não gostar do que "tem visto ser associado à imagem da FIFA nos últimos anos". Com uma carreira que durou 20 anos, Luís Figo, que defendeu as cores de clubes como Sporting, Barcelona, Real Madrid ou Inter de Milão, salientou ainda à CNN que é um desafio extremamente aliciante "tentar convencer as pessoas" a "seguirem-me e apoiarem-me".

A candidatura de Luís Figo será formalizada esta tarde. De acordo com o jornal online Observador, o proponente é a FPF e o antigo campeão europeu pelo Real Madrid (2001/2002) cumpre os requisitos mínimos estabelecidos, isto é, reúne o apoio de, pelo menos, cinco federações.

Publicidade

"Nos últimos tempos tenho falado com muitas pessoas do mundo do futebol - presidentes de federações, jogadores e treinadores - e todos me transmitiram que algo tem de ser feito", sentenciou Figo.

Fernando Gomes, líder da FPF, desfez-se em elogios para com Luís Figo e enalteceu a "enorme capacidade" do ex-internacional português. Numa declaração divulgada através de um vídeo da FPF, Fernando Gomes frisou que a candidatura de Figo trata-se duma "decisão pessoal" do antigo futebolista, mas não deixou de sublinhar que é uma "enorme honra para a FPF suportar e apoiar a candidatura de Luís Figo" à liderança da FIFA.