É oficial, Benjamin Sanchis viu o Livro do Guiness aceitar e homologar a onda que surfou no passado dia 11 de Dezembro, como a maior do Mundo. Foram 33 metros que o francês enfrentou com todo o sucesso, conseguindo bater o anterior marco histórico, pertença de Garret McNamara. Em comum entre os dois, está claro, o local onde conheceram o êxito, a Praia do Norte, na Nazaré. Três anos e um mês depois, há um novo rei nas ondas gigantes.

Portugal, através da Nazaré e das suas ondas do outro Mundo, está novamente nos registos do Livro do Guiness, depois de Sanchis se ter lançado à água com a ajuda de um jet-sky e ter entrado naquela que é, agora, a maior onda do Planeta.

Publicidade
Publicidade

Em declarações ao jornal I, o francês de 33 anos não escondeu a felicidade pelo feito alcançado, apesar do valente susto que apanhou: "Não conseguia seguir a linha que queria, senão teria ido mais para dentro. Senti rapidamente que tinha subido demais. De um momento para o outro dei um salto de 4 ou 5 metros, quando descia com a prancha na vertical. E no final da onda, caí", valendo a ajuda repentina do companheiro Deric Rebière que o resgatou depois de ter estado cerca de 30 segundos enrolado na onda.

O recorde pertencia ao já lendário Garrett McNamara de 44 anos, que na altura surfou na mesma praia do Norte uma onda com 78 pés - equivalente a 23,77 metros -, e muitos foram os que tentaram bater essa marca (McNamara inclusive), mas sempre sem sucesso. Passados 1125 dias, surge Benjamin Sanchis, um francês que desde cedo enfrenta as maiores waves com o intuito de as destronar.

Publicidade

Diz quem o conhece, que a sua vida é simplesmente "perseguir" as melhores e maiores ondas que consegue encontrar, para poder ter o melhor tempo possível para usufruir delas.

Conhecedor do famoso canhão subterrâneo da Nazaré, que chega até bem perto da zona de rebentação, Benjamin Sanchis fez as malas e veio até à praia do Norte para conquistar para si um novo marco mundial. A maior onda é dele (pelo menos para já) e por isso mesmo, McNamara já era.