Cristiano Ronaldo é o homem do momento. O melhor jogador mundial de 2014 esteve muito próximo de representar outros clubes. E se não aconteceu, foi porque não calhou. Para além de Portugal, o destino de Ronaldo passou por Inglaterra e Espanha, mas poderia perfeitamente ter acontecido jogar em outras grandes equipas nestes dois países, ou até ter atuado na Itália, ou na França.

Cristiano Ronaldo poderia ter deixado Sporting e assinado pelo Olympique de Lyon. O clube de Alvalade pretendia um jogador muito desejado pelo então técnico leonino, Laszlo Boloni: Tony Verailles. Em troca foram cedidos aos gauleses dois jogadores e um era o craque português: " O Sporting de Portugal não tinha dinheiro e então propôs em troca 2 jogadores, um deles era Cristiano Ronaldo, mas o Olympique rejeitou (...) " confessou Boloni ao Triball.

Publicidade
Publicidade

Arsène Wenger confessou num documentário à ITV4, em 2003, que o Arsenal esteve muito próximo de fechar o negócio com o jogador. O Manchester United apenas garantiu Cristiano Ronaldo no último instante, graças a uma intervenção de Carlos Queiroz: "O que aconteceu foi que o Carlos Queiroz foi para o Manchester United e eles (Manchester United) afastaram-no (Ronaldo) de nós porque ele (Queiroz) conhecia-o do Sporting". Aguardando pela conclusão dos detalhes da transferência, Wenger chegou a oferecer a Ronaldo a camisola do clube: "Ele esteve muito próximo de jogar aqui. Ele já tinha a sua camisola do Arsenal. Tinha o número 9 e nas costas o nome Ronaldo". O técnico, hoje conformado com esta perda, reconhece que o Manchester soube jogar esta corrida: "É isto a vida. Tu dás o melhor, mas às vezes podes descobrir que existem pessoas mais fortes do que tu".

Publicidade

A Juventus foi mais um dos azarados clubes que falharam por pouco o passe de Cristiano Ronaldo ao Sporting. O negócio estava fechado, Ronaldo ia para Turim e, em troca, o avançado chileno Marcelo Salas rumava a Alvalade. Mas Salas, apesar de ter chegado a Portugal, acabou por mudar de ideias e o Manchester entrou em cena e complicou ainda mais o ingresso de Ronaldo no colosso italiano: "Já tínhamos acertado uma troca com o Sporting: Marcelo Salas por Cristiano Ronaldo. Salas viajou para Portugal, mas mudou de ideias e foi jogar no River Plate. Nesse momento o Manchester United fez uma oferta milionária, coisa que nós não tínhamos, e tivemos que rescindir o contrato que havíamos feito", contou o antigo dirigente da Juve, Luciano Moggi, ao Sphera Sports.

Em 2003, o empresário de Cristiano Ronaldo, Jorge Mendes, ofereceu o atleta ao Barcelona, mas os problemas financeiros do Barça impediram a contratação: "Mendes colocou-nos à disposição uma grande aquisição, e quando já havíamos fechado com Marquez, ele ofereceu-nos Cristiano mais barato do que venderia para o Manchester United.

Publicidade

Mas não tivemos disponibilidade económica", admitiu Juan Laporta, ex-presidente do Barcelona, ao Onda Cero. Fica a curiosidade: como seria Ronaldo jogar no grande rival do Real, ao lado de Messi? #Futebol