O jornal espanhol Marca fez recentemente um somatório dos jogadores sul-americanos que chegaram aos grandes clubes europeus depois de terem passado por Portugal. A conclusão a que chega é que o nosso país é a melhor porta de entrada no velho continente para os jogadores da América Latina. "Dezenas de futebolistas sul-americanos chegam todos os anos a Portugal para triunfar e encontrar um espaço no #Futebol europeu", recorda o periódico. "Os que saíram para as grandes ligas formam um onze de dimensão mundial, pelo qual foram pagos 238 milhões de euros", destaca a publicação.

"Nem todos os caminhos vão dar a Roma. No futebol sul-americano, o destino é, em muitos casos, Porto e Lisboa", começa por escrever a Marca, explicando que "a Liga portuguesa é a porta pela qual entram na Europa muitas das promessas latinas, onde amadurecem e de onde, já adaptados, se expandem pelo velho continente".

Publicidade
Publicidade

"Nos relvados lusos surgiram Botas de Ouro como Jardel ou figuras como Deco. Nos últimos anos, muitas das estrelas que jogam na Europa saíram do Estádio da Luz ou do Dragão, rumo aos 'tubarões' europeus. Diego, Lisandro López, Lucho González, Guarín, Iturbe, Anderson, Ramires, Cardozo… são só alguns deles", prossegue o matutino. Outros, como Gaitán, Salvio, Alex Sandro, Danilo ou Jackson Martínez, continuam em Portugal, somando golos e prestígio, à espera do salto. O objectivo dos clubes nacionais é claro, considera o desportivo: "comprar barato, na origem, promessas latinas, cultivá-las no seu clima temperado e vendê-los ao Real Madrid, Manchester United ou Chelsea por grandes quantidades de dinheiro. Desta política fizeram uma fonte de financiamento e de crescimento dos seus clubes".

Publicidade

Com os craques que saíram da nossa Liga é possível formar um onze de grande nível. Uma equipa que custou cerca de 30 milhões e que foi vendida por 238. "O negócio perfeito", conclui o jornal.

Júlio César é o guarda-redes escolhido neste onze da Marca. O ex-guardião de Belenenses e Benfica é claramente o elo mais fraco desta equipa, tendo fracassado desde que saiu de Portugal, tanto no Getafe como no Granada. A defesa é composta por David Luiz, o menino dos caracóis que chegou do Vitória ao Benfica e depois saiu para ser campeão europeu no Chelsea antes da transferência milionária para o PSG; Otamendi, que foi do FC Porto para o Valência por 12 milhões; e Pepe, o luso-brasileiro que o Real Madrid comprou aos "dragões" por 30 milhões e que tem sido um dos pilares das muitas conquistas do clube "merengue" nos últimos anos.

Enzo Pérez, o extremo adaptado por Jorge Jesus a médio pelo qual o Valência deu 25 milhões; Fernando, o "trinco" que o Manchester City recrutou no FC Porto; Di María, o mágico argentino que ganhou a Liga dos Campeões com o Real Madrid e está agora no Manchester United; e James Rodríguez, que chegou este ano ao Santiago Bernabéu depois de ter brilhado no Mónaco e na selecção colombiana, compõem o meio-campo.

Publicidade

O ataque fica entregue a Diego Costa, o avançado que passou quase despercebido em Braga e Penafiel mas que não se cansou de marcar golos no Atlético de Madrid e, agora, no Chelsea; Hulk, o incrível atleta que o FC Porto descobriu no Japão e que depois vendeu ao Zenith; e Falcao, que apesar das dificuldades actuais no Manchester United, continua a ser um goleador de referência.

A Marca escolheu ainda o onze ideal dos sul-americanos que actualmente jogam em Portugal: Fabiano, Danilo, Maicon, Jardel, Alex Sandro; Gaitán, Herrera, Quintero; Talisca, Fredy Montero e Jackson Martínez.