Tudo a zeros, foi assim que acabou o jogo que colocou frente a frente Académico de Viseu e Beira-Mar, duas equipas que entravam para esta jornada 23 separadas por apenas dois pontos. Num Estádio do Fontelo despido de público, os viseenses só se podem queixar de si próprios por não terem amealhado os três pontos. Com várias ocasiões claras de golo, principalmente depois das expulsões do lado aveirense, os academistas somaram o segundo jogo consecutivo sem vencer, depois da derrota na semana passada em Portimão. Ambas as equipas continuam a meio da tabela da Liga 2 de #Futebol.

Frente a um adversário que não vencia há já sete jogos, tendo nas últimas duas partidas, já sob o comando de Paulo Alves, somado dois empates a zero, Ricardo Chéu mexeu no onze do Académico, apostando em Filipe Nascimento para ocupar o lugar de João Coimbra, entretanto transferido para os romenos do Rapid Bucareste.

Publicidade
Publicidade

Com maior posse e iniciativa de ataque, os da casa sentiram sempre dificuldades em penetrar na densa defesa do Beira-Mar, que se “limitou” a jogar em contra-ataque, mas que protagonizou a melhor oportunidade de golo quando, aos 31 minutos, o francês Billal obrigou Ivo Gonçalves a fazer uma grande intervenção.

No segundo tempo, e já depois de Tomé ter saído lesionado num joelho, o Académico entrou determinado em marcar cedo, tendo Clayton ficado perto do golo logo aos 47 minutos. Mas foi novamente o Beira-Mar que voltou a assustar Ivo quando, aos 55 minutos, Nádson apareceu a cabecear ao primeiro poste, com o guardião academista a fazer uma defesa de recurso. Ciente que estava a perder capacidade de passe e pressing no meio campo, Ricardo Chéu fez entrar em campo Alex Porto para o lugar de Filipe Nascimento, tendo logo de seguida Luisinho ficado a centímetros do golo, após a cobrança de um livre directo, valendo ao guardião Rui Rego o desvio na barreira aveirense.

Publicidade

Com meia hora para o fim do jogo, o Beira-Mar via-se cada vez mais apertado pela malha do Académico. Aos 66 minutos, Anderson Matos viu o segundo cartão amarelo e respectivo vermelho, deixando os aveirenses reduzidos a dez. Com mais uma unidade em campo, a equipa da casa acercou-se ainda mais da baliza de Rui Rego, que foi a grande figura do lado dos forasteiros depois de conseguir parar todas as iniciativas dos academistas. Ficaram na retina as grandes defesas aos remates de Alex Porto (77’) e Luisinho (89’), numa altura em que a equipa de Paulo Alves já jogava com nove, depois da expulsão de Diego Tavares, após ter agredido Sandro Lima.

No entanto, o marcador acabou por não sair do nulo inicial, continuando as duas equipas separadas por dois pontos, numa partida em que o Académico tomou de assalto a baliza do Beira-Mar mas, por clara falta de eficácia - e ao contrário do que aconteceu no jogo contra o Desportivo das Aves - acabou por somar apenas um ponto, num jogo em que teve tudo para vencer, ficando a nu as carências ofensivas na equipa de Ricardo Chéu. 

Ficha de jogo:

Estádio do Fontelo - 23ª Jornada 

Académico - 0: Ivo; Tomé (Tiago Costa 39’); Tiago Gonçalves; Eridson; Dalbert; João Ricardo; Filipe Nascimento (Alex Porto 55’); Clayton (Ricardo Ferreira 90’); Luisinho; Tiago Almeida; Sandro Lima; Treinador: Ricardo Chéu

Beira-Mar - 0: Rui Rego; André Nogueira; Diego Tavares; Fábio Santos; Vítor Vinha; Edu Silva; Billal (Edivândio 90’); Anderson; Pedro Moreira; Chaparro (Edema 75’); Nádson (Dieguinho 90+3); Treinador: Paulo Alves.

Publicidade