É oficia: depois de Inglaterra, Espanha, França ou Itália, eis que os petrodólares vão começar a ter “peso” no #Futebol sul-americano. Em concreto no Brasil, onde o Brasília Futebol Clube está prestes a ser comprado por um sheik e empresário oriundo dos Emirados Árabes Unidos. Depois de alguns boatos, a confirmação foi dada pelo actual presidente do clube, que afirma que este passo vai possibilitar ao emblema da capital federal do país do samba chegar, no máximo em dois anos, à primeira divisão (Série A). O contrato será selado brevemente, havendo já um pré-acordo assinado entre as duas partes.

Este poderá mesmo ser o primeiro dia do resto da vida do (ainda) modesto Brasília Futebol Clube, que actualmente está a competir no Campeonato Brasiliense.

Publicidade
Publicidade

Esta mudança drástica mas positiva é vista com bons olhos pelo actual presidente, Luiz Carlos Alcoforado: “Se isso acontecer mesmo [a compra do clube], se for concretizado, o Brasília vai para um outro patamar no futebol brasileiro. Muda completamente. Terá muito mais recursos, nem se pode comparar. É, sim, para sonhar até com a Série A. Não no primeiro ano, claro. Mas eu diria que em três anos daria para fazer isso”, afirmou o máximo dirigente do actual detentor da Taça Verde. Já sobre a identidade do empresário e os moldes em que se fará o negócio, Alcoforado prefere manter tudo no segredo dos deuses: “Temos um pré-contrato. É com um empresário. Ainda não posso dar muitos detalhes porque não está fechado. Não sei a quem eles estão ligados, mas parece-me que é a alguns sheiks. Ainda não sabemos qual será o formato, é sobre isso também que estamos a falar”, disse o presidente do Brasília à imprensa local.

Publicidade

Fundado em 1975, o Brasília Futebol Clube é o clube do Estado Federal que mais vezes participou no principal escalão do futebol brasileiro, num total de sete presenças. Apesar de estar afastado há já alguns anos dos grandes palcos do desporto rei canarinho, o emblema brasiliense quer voltar em grande estilo, e com capacidade desportiva e financeira para deixar marca. Como curiosidade, o Brasília tornou-se, no fim da década de 90, no primeiro clube do Brasil a constituir uma SAD – Sociedade Anónima Desportiva, estando agora, cerca de 15 anos depois, a um passo ser der também pioneiro; neste caso, ao ser adquirido por uma figura ligada aos petrodólares.

Taça Sul-Americana como montra perfeita

Depois de vencer a primeira edição da Taça Verde, torneio que reuniu emblemas dos Estados das regiões Norte e Centro-Oeste do Brasil, o Brasília garantiu um lugar na Taça Sul-Americana 2015. Nesta competição continental (equivalente à Liga Europa), o emblema brasiliense vai assim medir forças com alguns dos clubes mais importantes da América do Sul, o que é visto como uma montra para os novos donos árabes.

Publicidade

Recordamos que o actual vencedor da Sul-Americana é o River Plate da Argentina.

A jogar num dos estádios que recebeu no último Verão o Campeonato do Mundo, o Brasília pode agora juntar, às instalações de luxo, um elenco possível apenas graças ao investimento proveniente dos Emirados. Depois de Manchester City ou Paris Saint-Germain, quem sabe se do outro lado do Atlântico não vamos brevemente ouvir falar do Brasília a lutar por títulos, ombro a ombro com Cruzeiro, São Paulo ou Corinthians. É o poder dos petrodólares a chegar também à América do Sul. #Negócios