Está em envolta em polémica a partida da Taça Asiática entre Jordânia e Iraque. Não pela vitória dos iraquianos por 1-0, mas pelo que aconteceu no pós-jogo no habitual controlo anti-doping. Segundo anunciou a federação jordana, o seu avançado Ahmad Hayel ficou em pré-coma e hipotermia por ter sido "forçado" realizar o dito teste. Em declarações à imprensa local, Fadi Zureikat, secretário-geral da federação jordana de #Futebol, afirmou que o jogador teve de "beber vários litros de água" para produzir a urina necessária para a amostra do teste. A aparente carência de vitaminas e minerais deixou o jogador num avançado estado de desidratação, levando-o mesmo a perder a consciência.

Publicidade
Publicidade

Classificando este caso como um "incidente perigoso", o seleccionador da Jordânia, Ray Wilkins veio a público criticar o procedimento levado a cabo pela Asian Football Confederation - AFC, que esta tarde já clarificou que é mentira o facto de o jogador ter sido forçado a beber água: "Como é do procedimento, o departamento médico da AFC recomenda sempre aos jogadores, em especial aos que alinham durante os 90 minutos, beberem água para realizar a recolha da urina. Cabe aos jogadores acatar ou não essa recomendação. Ninguém forçou o jogador a beber água", pode ler-se no site da AFC em nota de esclarecimento.

Já sobre a validade do controlo feito, a AFC também veio a público afirmar que a recolha e consequente teste anti-doping não serão válidos, dadas as circunstâncias: "O jogador sentiu tonturas, náuseas e vomitou logo depois da segunda tentativa de realizarmos o teste, que foi realizado uma hora depois da primeira tentativa. O médico da AFC, dr. Paisal Chatarapitak, na presença do médico da selecção da Jordânia, decidiu que o teste não seria concluído devido à debilitada condição do atleta", afirmou em nota publicada esta quarta-feira.

Publicidade

Depois de ter sido levado inconsciente para o hotel, Ahmad Hayel de 31 anos, acabou por recuperar, estando ainda em dúvida para a importante partida de sexta-feira frente ao Japão, actual campeão em título. Em caso de derrota a Jordânia fica automaticamente eliminada.