Segue imparável a carreira de Roger Federer, que aos 33 anos conquistou este fim-de-semana a vitória número mil! Habituado a bater recordes, o superatleta helvético marcou o seu nome (mais uma vez) na galeria do desporto, após derrotar Milos Raonic na final do Open de Brisbane, na Austrália, por 6-4, 6-7 (2-7) e 6-4. Desta forma, passa a ser o terceiro jogador da história do ténis a atingir esta inimaginável cifra.

Roger Federer pode ser quase um sinónimo de recordes no ténis, pois ao suíço pertencem várias marcas, como as 302 semanas como número 1 do ranking ATP e os 17 títulos só no Grand Slam. A estes factos juntam-se outros, como as 83 vitórias em torneios (66 do ATP e 17 no Grand Slam) desde 1998, as 125 finais que já disputou (ganhas e perdidas) e ainda as 621 vitórias em 2 mil encontros que realizou em piso duro.

Publicidade
Publicidade

Elogiado e venerado dentro e fora dos courts, Federer é respeitado por antigos e actuais jogadores, que o veem como um predestinado, mas também como alguém que sempre trabalhou muito e com afinco para chegar onde chegou. Apesar de alguns dizerem que o fim da sua carreira está para breve, e mesmo sem vencer um Grand Slam desde 2012, a verdade é que o tenista suíço parece ter sete vidas e considera mesmo que continua inserido no top 4, juntamente com Novak Djokovic, Rafael Nadal e Andy Murray. Quanto questionado se a nova "vaga" de tenistas, vai dentro em breve, superar estes quatro magníficos, Federer não concordou: "Tivemos algumas lesões e não é porque não jogámos bem uma ou outra vez que estamos em queda. O Rafa (Nadal) teve os seus problemas, o Murray foi operado às costas e eu próprio tive em 2013 um ano difícil que afectou 2014. De todos, o que se manteve mais consistente foi o Novak (Djokovic) ".

Publicidade

Agora, apenas com Jimmy Connors (1253) e Ivan Lendl (1071) à sua frente no que ao número de vitórias diz respeito, Federer "esconde" ainda outras marcas dignas de registo, como são os casos de ser o tenista que conquista um título individual há mais anos seguidos, 15 (!) e os quase 75 milhões de euros que já arrecadou ao longo destes 17 anos como profissional, em que ouviu por mil vezes a seguinte frase: "Game, set and Match to Federer". Será caso para dizer, venham mais mil.