O futebol no Distrito de Viseu está de novo em destaque mas, mais uma vez pelas piores razões. O jogo entre Oliveira do Douro e Vilamaiorense foi interrompido já no tempo de descontos, depois de um adepto ter agredido o árbitro da partida, António Rocha. O juiz viseense teve mesmo de fugir e barricar-se no balneário durante várias horas. Acabou por ser encaminhado ao hospital em Cinfães, dada a violência das agressões.

Numa partida que contava para a jornada 16 da Zona Norte da 1ª Divisão da Associação de #Futebol de Viseu (AFV), a polémica estalou quando aos 91 minutos de jogo, o árbitro António Rocha assinalou uma grande penalidade a favor do Vilamaiorense.

Publicidade
Publicidade

Com 2-1 no marcador, os adeptos da casa não controlaram a fúria e acabaram por agredir o jovem juiz. Tal situação só ocorreu por não estar presente qualquer elemento de segurança no Campo da Ranha. Consumada a agressão, o homem do apito teve mesmo de se refugiar nos balneários, acabando por considerar que a melhor opção passaria por chamar a GNR e o INEM, dando por terminada a partida.

Assim que o final (antecipado) do jogo foi anunciado, os adeptos do emblema da casa rodearam o balneário onde estava barricado o árbitro da partida, tendo António Rocha abandonado as instalações desportivas do Oliveira do Douro numa ambulância directamente para o hospital, mas apenas várias horas depois do final do jogo.

Ausência de policiamento é “chamativo” para a violência

Naquele que é já o terceiro caso de violência no futebol do Distrito de Viseu desde Dezembro, em todas as situações há um denominador em comum: a falta de elementos de segurança nos campos/estádios onde ocorreram os problemas com as equipas de arbitragem.

Publicidade

Habitualmente “substituídos” pelos denominados Assistentes de Recintos Desportivos, que na maior parte dos casos são directores dos clubes ou meros “apanha bolas”, o público, conhecedor dessa lacuna de segurança, acaba por ter maior “à vontade” para entrar em campo e fazer “justiça” pelas próprias mãos. Depois dos casos em Oliveira de Frades e em Castro Daire, mais uma vez um jogo não chegou ao fim no Distrital viseense, sendo expectável que o Núcleo de Árbitros de Viseu, bem como a própria AFV reajam, depois de terem prometido uma tomada de posição para breve.