Este é um clube de #Futebol único num destino como nenhum outro. Um em cada três dos 37.831 moradores do principado do Mónaco são milionários e há mais bilionários per capita do que em qualquer outro lugar. Este é o lugar para onde os ricos vão viver livres de impostos e onde a expectativa de vida é a mais elevada no planeta.

No campo, Berbatov, Ricardo Carvalho e Moutinho são os rostos que se destacam. Por esta altura, no ano passado, James Rodríguez e Falcao também lá estavam, depois de um verão de enorme investimento, com o objectivo de tornar o Mónaco numa superpotência. James e Falcao deixaram o clube no defeso, quando o proprietário Dmitry Rybolovlev decidiu desinvestir na equipa.

Publicidade
Publicidade

O bilionário russo, que comprou uma participação maioritária em 2011, reergueu o clube quando este lutava no fundo da segunda divisão. O Mónaco está de volta à elite europeia, depois de ter ficado em segundo lugar na Ligue 1, atrás de PSG.

"Não conseguiríamos alcançar o que alcançamos sem grandes investimentos", diz Vadim Vasilyev, vice-presidente do clube. "Tivemos de recuar no investimento mais do que pensávamos, principalmente por causa do fair play financeiro. Continuamos ambiciosos, no entanto. Queremos ter um papel importante na europa".

O clube sempre se esforçou para encher o Stade Louis II, que possui 18.000 lugares, quase metade da população do Estado. A média de assistência desta temporada é de menos de 8.000 espectadores. O mesmo aconteceu com a equipa de Wenger em 1987, quando o Mónaco contava com algumas lendas francesas, como Thierry Henry, Emmanuel Petit e Thuram.

Publicidade

Foi a mesma coisa quando o técnico Deschamps levou os monegascos à final da Liga dos Campeões, em 2004.

Muita coisa mudou desde a era Wenger. Naquela época, o centro de treinos tinha três chuveiros. Actualmente, possui as mais modernas instalações médicas, balneários de luxo e um parque de estacionamento com carros no valor de 15 milhões de euros.

Para os jogadores milionários, o Mónaco tem tudo: carros velozes, o clima agradável, belas praias e locais de interminável diversão. Carvalho não tinha interesse neste estilo de vida quando se mudou com a esposa e dois filhos. O defesa português, tal com o resto dos jogadores estrangeiros do clube, vive no Mónaco. Os jogadores franceses, que não estão isentos de impostos, escolhem viver do outro lado da fronteira, onde, mesmo para eles, as coisas são mais acessíveis. Um apartamento T1 no principado pode custar até 50.000 euros por mês.

Vasilyev está convencido que o futuro do clube está na formação. "O Mónaco é conhecido pela sua academia, pelos os seus jogadores brilhantes", afirma. O Mónaco percorreu um longo caminho num curto espaço de tempo. Há, porém, uma sensação de que o futebol não sabe o que o futuro reserva para este clube. Pode demorar algum tempo até que o Mónaco possa realizar o sonho do seu proprietário russo - ganhar a Liga dos Campeões - mas, a curto prazo, este é um clube e um lugar como nenhum outro.