Enquanto o mundo do futebol se mantém orgulhosamente só na oposição à introdução de meios tecnológicos, os outros desportos anunciam novidades que não só facilitam o trabalho dos árbitros como melhoram o espectáculo. Esta quinta-feira, num sempre escaldante Real Madrid-Barcelona, a Euroliga estreou a introdução de micro-câmaras utilizadas pelos árbitros. Este é apenas o início. Ainda esta época, dispositivos semelhantes serão instalados nas camisolas dos jogadores, permitindo a toda a gente ter o ponto de vista daqueles que são os verdadeiros protagonistas do jogo. Será que algum dia vamos ver algo semelhante no desporto-rei?

"Mantendo o compromisso da Euroliga de Basquetebol de melhorar a experiência dos adeptos com as novas tecnologias, os árbitros da Euroliga tornam-se esta quinta-feira nos primeiros da história do desporto a usar micro-câmaras num jogo oficial, entre o Real Madrid e o Barcelona", anunciou a principal competição basquetebolística europeia na sua página oficial.

Publicidade
Publicidade

As câmaras, instaladas nas camisolas dos árbitros, transmitem imagens em directo, que colocam os adeptos no centro da acção, proporcionando-lhes o mesmo ângulo de visão dos juízes. "A Euroliga está orgulhosa por estrear esta excitante e inovadora tecnologia no seu Jogo da Semana, que envolve uma das maiores rivalidades do desporto em todo o planeta e será transmitido em mais de 150 países", lê-se no texto.

A iniciativa, pioneira no mundo desporto, é o resultado de uma colaboração entre a Euroliga, o Canal Plus e a First V1sion. As câmaras já foram também usadas pelos jogadores do Barcelona, para testar a possibilidade de virem a ser utilizadas num jogo oficial proximamente. Com bons resultados. "Senti-me muito bem com a câmara, sem restrições. Não é pesada, não perturba os movimentos, é como se estivesse a usar uma camisola interior apertada", disse Maciej Lampe.

Publicidade

"Vai dar aos adeptos a oportunidade de ver as faltas e as acções de um ângulo diferente. Nunca vi ninguém jogar com uma câmara no peito: será certamente interessante", preconizou. "A sensação é boa e não tive de mudar nada do que faço habitualmente", acrescentou o base Edwin Jackson. "Continuei a jogar o meu jogo, não é pesada. Pode proporcionar aos adeptos imagens diferentes e dar uma visão mais próxima do jogo ao público e, até, aos jogadores", concluiu.

Este é apenas mais um capítulo da aposta da Euroliga nas novas tecnologias, procurando levar o entusiasmo e o drama do jogo o mais perto possível dos adeptos. Na época passada, esta competição foi uma das primeiras no desporto profissional a usar Google Glasses num jogo em directo. "A Euroliga de Basquetebol continua empenhada em abraçar a tecnologia de ponta para dar ao público todos os meios possíveis para desfrutarem do nosso desporto", frisou Jordi Bertomeu, presidente e CEO da Euroliga.

"A estreia das câmaras nos equipamentos esta semana mostra que os nossos clubes, jogadores e parceiros estão igualmente comprometidos em colocar os fãs em primeiro lugar.

Publicidade

Os amantes do basquetebol estão, certamente, tão entusiasmados como nós com a estreia desta quinta-feira, que junta tecnologia de ponta a uma rivalidade histórica como a do Real Madrid e do Barcelona", terminou. "Os testes que fizemos demonstram que esta inovação não é inalcançável e que estamos cada vez mais perto de a tornar uma realidade nas competições profissionais", apontou José A. Ildefonso, CEO da First V1sion. Estará o futebol tão empenhado em melhorar a experiência dos adeptos e tão próximo desta realidade? Não me parece.