É uma notícia de última hora. Bruno de Carvalho foi condenado pela FPF a um mês de suspensão pela conduta imprópria protagonizada durante o encontro com o Gil Vicente, na última jornada do campeonato da Liga NOS. Ao que tudo indica, o líder leonino violou o artigo nº 136 do Regulamento Disciplinar (RD) da Liga Portuguesa de #Futebol Profissional (LPFP), que castiga acções "por prejuízo da honra e da credibilidade" de vários agentes desportivos ligados ao Gil Vicente que estiveram presente no Estádio José de Alvalade, no último Domingo, a representar o emblema minhoto. Desta forma, mais uma vez o comportamento do presidente dos leões é alvo de advertência por parte do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol.

Este castigo imposto a Bruno de Carvalho tem a duração de 30 dias e uma multa a rondar os 800 euros. A decisão é passível de recurso, mas não poderá ser anulada. Por isso, na melhor das hipóteses, o castigo só conseguirá ser reduzido. Este caso deveu-se ao comportamento que Bruno de Carvalho protagonizou no decorrer da recepção feita ao Gil Vicente, em jogo referente à 22.ª jornada da Liga Nos, que os verde e brancos venceram por 2-0, com golos da autoria de Tanaka e Nani.

Assim sendo, o castigo que foi imposto ao presidente Bruno de Carvalho tem como base o já mencionado 136º artigo do Regulamento Disciplinar da Liga de Clubes, que está relacionado com a honra e reputação dos vários agentes desportivos. O primeiro ponto do mesmo artigo refere o artigo número 112, onde se pode ler que "o clube ou SAD que faltar ao respeito e usar de forma abusiva de manifestações, desenhos, escritos ou gesticulações injuriosas, que tenham como finalidade difamar de forma grosseira qualquer elemento ou membro de qualquer meio que diga respeito à Liga Portuguesa de Futebol Profissional e ou da Federação Portuguesa de Futebol, onde se incluem os vários membros, árbitros, dirigentes e outros agentes desportivos, que estejam a exercer as funções que lhe foram confiadas, será alvo de uma punição que terá direito a uma multa com um montante a fixar posteriormente com adjudicação de um tempo de actividade suspensa".

Segundo o artigo e a tabela de penalizações, Bruno de Carvalho foi castigado com a suspensão mínima para estes casos, ou seja trinta dias que o impossibilitam de realizar qualquer tipo de acto oficial em nome do #Sporting Clube de Portugal. De lembrar que a pena máxima para estes casos pode chegar aos três de suspensão. Devido a este castigo, Bruno de Carvalho não poderá sentar-se como delegado no próximo jogo com o FC Porto.