Jorge Jesus está cada vez mais perto de ser o próximo treinador do Barcelona. Pelo menos, é isso que dizem alguns meios de comunicação no país vizinho. Tudo depende da vitória de Joan Laporta nas próximas eleições no emblema blaugrana, que é dada como certa. Aos 60 anos, seria a primeira experiência do técnico português fora do nosso país. E logo num dos maiores clubes do mundo.

A novela em torno do eventual interesse do clube catalão no actual treinador do Benfica começou na apresentação do livro "Jorge Mendes, o Agente Especial", onde JJ abriu a porta de saída da Luz. "Para ser considerado um dos melhores do mundo, não posso estar em Portugal. Aqui já ganhei tudo, se quero atingir outras metas e ter maior visibilidade tem de ser fora", declarou o técnico campeão nacional. Caso se confirme a saída de Jesus neste Verão, seria o fim de uma ligação de seis anos às águias, nos quais conquistou duas Ligas, uma Taça de Portugal, quatro Taças da Liga e uma Supertaça.

Publicidade
Publicidade

O técnico devolveu ainda os encarnados à alta-roda do #Futebol europeu, com a participação em duas finais da Liga Europa nos últimos dois anos.

Segundo o Nueva Era Deportiva, a chave da operação reside na vitória de Joan Laporta nas eleições do Barcelona. Um triunfo que, na Catalunha, muitos dão por adquirido. Jorge Mendes, representante de Jorge Jesus e amigo de Laporta, seria o homem responsável for fazer com que a mudança da Luz para Camp Nou se realizasse. Isso mesmo preconizou Paulo Futre há uns dias. "Eu vejo o Jorge (Jesus) no Barcelona. Depende dos títulos que Luis Enrique conseguir - mas mesmo que ganhe o campeonato e não a Liga dos Campeões, pode sair", declarou à CMTV, acrescentando que a eventual saída do jovem técnico espanhol "é a porta ideal para Jesus".

A acreditar nos rumores, esta seria a primeira experiência de Jorge Jesus fora de Portugal, aos 60 anos.

Publicidade

Seria também, finalmente, a chegada do treinador do Benfica a Espanha, depois de muito se ter falado, no Verão passado, no interesse do Valência em contratar o técnico para encabeçar o projecto multimilionário de Peter Lim. Contudo, como é sabido, acabou por ser outro português, Nuno Espírito Santo, o escolhido. Com bons resultados, até ao momento.