Aquele que foi considerado um dos melhores ciclistas do mundo acabou com a fantasia ao assumir o consumo de anabolizantes. E as consequências dessa confissão continuam a sentir-se. Não só na sua carreira, que em princípio terá terminado, mas também na sua conta bancária. Armstrong foi condenado ao pagamento de cerca de nove milhões de euros à SCA Promotions Inc.

A empresa, de Dallas, Texas, deu ao ex-ciclista um bónus de patrocínio no valor de 4,5 milhões de euros, depois de este ter vencido o Tour no ano de 2004. Após as acusações de doping contra Armstrong, que prolongaram durante anos, a seguradora pediu a anulação desse patrocínio.

Publicidade
Publicidade

Depois de dois anos de disputa em tribunal, as duas partes acordaram um pagamento inicial a Armstrong.

Mas em 2012, quando Lance confessou o consumo de substâncias proibidas, a SCA Promotions Inc tentou e conseguiu reabrir o processo e foi agora tomada a decisão final por um painel de três juízes: a empresa será indemnizada por todo o investimento feito em Armstrong.

Um tribunal arbitral do Texas ficou do lado da empresa, julgando também a Tailwind Sports, ex-proprietárias da equipa US Postal Service, pela qual o ciclista corria. Segundo o jornal "Público" o veredicto foi o de que tanto Armstrong como a Tailwind Sports cometeram "perjúrio, fraude e conspiração", o que "exige sanções reais e significativas".

Serão assim devolvidos à seguradora cerca de nove milhões de euros pelo sete vezes vencedor do Tour de France.

Publicidade

Sobrevivente de um cancro, Lance Armstrong é também reconhecido por ter fundado a Lance Armstrong Foundation, uma instituição de luta contra o cancro. Quando, em 2013, o próprio confessou no programa de Oprah Winfrey a sua culpa, o mundo ficou chocado. Foi banido do desporto e as suas vitórias foram-lhe retiradas. O ex-ciclista viu a sua carreira destruída, bem como a sua reputação, que o ex-desportista ainda tenta salvar com declarações recentes como: "Se tivesse de competir em 2015 (...) não o faria outra vez (...). Se voltássemos a 1995, quando o doping estava completamente generalizado, provavelmente voltaria a fazê-lo", disse em entrevista à BBC. #Famosos