A atleta queniana alcançou o 3.º lugar a rastejar, literalmente. A mulher revela que não se lembra do final da prova, mas as imagens que circulam na Internet mostram como tudo aconteceu. Hyvon Ngetich estava próxima de vencer a Maratona de Austin, nos Estados Unidos da América, no domingo, mas o corpo não aguentou o esforço e a mulher caiu. A partir daí rastejou 400 metros até à meta, como avança a rádio TSF. No final ainda subiu ao pódio.

Vários elementos da equipa médica da prova tentaram ajudar a atleta mas a mesma rejeitou e continuou a gatinhar até à meta. Também disse não à cadeira de rodas que seguia junto a ela. Esta atitude tem gerado surpresa e virado um exemplo na Internet, com milhares de pessoas a aplaudirem o seu esforço e a persistência da maratonista queniana. Hyvon Ngetich já tinha percorrido 37 quilómetros e faltavam cinco quando começou a sentir os primeiros sinais do corpo de que estaria a esgotar-se. Mesmo assim continuou a correr e, a 400 metros da meta, não resistiu e caiu. Mas isso não foi razão para não terminar a prova. A gatinhar, Hyvon Ngetich conseguiu ficar em terceiro lugar e subir ao pódio feminino. Esta atitude comoveu ainda a organização, que resolveu entregar-lhe o valor igual ao do segundo prémio.

No entanto, o esforço poderia ter-lhe causado problemas de saúde uma vez que os valores de açúcar no sangue da atleta estavam muito abaixo do recomendado. Hyvon Ngetich revelou agora que não se lembra como tudo aconteceu e, até lhe serem mostradas as imagens, não acreditava que tinha conquistado uma medalha. A maratonista conta que não se lembra de ver a meta, muito menos de rastejar ou ouvir incentivos do público, mas as dores nos joelhos denunciam o esforço feito. #Atletismo

A maratonista, que seguia em primeiro lugar na Maratona de Austin, com 500 metros de avanço para a segunda, garantiu já que irá voltar a participar na prova. A vencedora da Maratona, que contou com a participação de 15 mil atletas de 40 países, foi Cynthia Jerop, de 19 anos, com um tempo de 2h54m22s.