Ele voltou! Foi o que disse a multidão que encheu na última madrugada o MGM Grand Garden Arena em Las Vegas e os milhões que acompanharam via tv o regresso daquele que é reconhecido como o melhor lutador da história do Mixed Martial Arts - MMA. 399 dias depois de ter partido a perna frente a Chris Weidman, Anderson Silva voltou a subir ao octógono e aparentemente tranquilo, derrotou Nick Diaz. Num combate que foi decidido, de forma unânime pelos árbitros, "The Spider" voltou da melhor forma e em grande forma à ribalta, pedindo-se já que o próximo combate seja para recuperar o cinturão dos pesos médios perdido.

Num combate que levou ao fim os 5 rounds máximos previstos, Anderson Silva foi sempre superior a Nick Diaz que "apostou" na estratégia e na provocação para levar o brasileiro ao erro, chegando mesmo a deitar-se no meio do octógono.

Publicidade
Publicidade

Com o americano a baixar a guarda, de forma propositada, "The Spider" também jogou pelo seguro fazendo uso de socos directos, tendo ficado nos últimos instantes próximo do KO, quando acertou uma joelhada no seu adversário que, desnorteado, conseguiu manter-se em pé até ao terminus do tempo. Com um segundo round mais morno, mas novamente com vantagem para Anderson Silva, foi no entanto Nick Diaz que "acertou" mais no brasileiro.

Atrás no "marcador" Diaz deixou a provocação e partiu para o ataque, mas nunca conseguiu atingir Silva em cheio. Ciente da vantagem, o brasileiro soube controlar bem o oponente no 3.º e 4.º rounds, tendo na derradeira parte arriscado um pouco mais, atacando Diaz. Mas a natural falta de ritmo impediu-o de terminar com a luta por KO. Chegava ao fim a primeira luta do resto da vida de Anderson Silva, ficando a decisão do lado dos árbitros.

Publicidade

Choro, emoção e incógnita em relação ao futuro

Com o suspense a pairar no MGM Grand Garden Arena, foi com um ajoelhar no octógono e com lágrimas que Anderson Silva ouviu que a vitória era sua. Visivelmente emocionado, o lutador brasileiro não conseguiu nem quis esconder de ninguém o que lhe ia na alma: "Esse momento é muito importante para mim, para toda minha família e para todos os brasileiros. Queria agradecer a todos os que vieram aqui, todos os brasileiros. Esse momento foi muito importante por tudo o que passei aqui este ano, achei que não voltaria a lutar. Quero agradecer aos meus médicos e ao Dana e Lorenzo. Foi a luta mais difícil psicologicamente. Nick [Diaz] é o melhor. Foi a primeira vez que lutei contra um homem tão forte mentalmente. Obrigado pela oportunidade, Nick. Ele dá um grande show, eu também dou um grande show. Este é o Nick Diaz, é um show, esse é o UFC", disse de forma emocionada com a plateia a aplaudir de pé.

Já sobre o futuro, Anderson Silva mostrou-se mais reservado, preferindo não abrir para já o livro sobre o que vai fazer: "Vou voltar para a minha família agora.

Publicidade

Meu filho Kalyl pediu para eu parar de lutar. Então eu vou voltar para a minha casa para ficar com meus filhos e, não sei, talvez eu volte", deixou no ar a dúvida que todos queriam ver desfeita.

A verdade é que Anderson Silva, reapareceu esta madrugada, talvez mais "maduro" que nunca. Os seus 39 anos e a experiência dos últimos 13 meses valeram-lhe muito e isso foi visível na sua entrada no octógono, onde não deu o show habitual, mostrando-se bem mais focado. Com o cinturão a pertencer ainda a Chris Weidman (contra quem Silva partiu a perna), muitas são as "pressões" para que o brasileiro volte a lutar frente ao americano para recuperar o cinturão dos pesos médios de volta. Com Weidman lesionado (fractura nas costelas) e caso não recupere nos próximos 90 dias, existe a possibilidade de ser marcada uma luta 100% brasileira entre Anderson Silva e Victor Belford, falando-se até mesmo num local mítico para a realização do mesmo, o Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro.

Tudo desejos e suposições, sendo para já apenas uma coisa certa, Anderson Silva está de volta. "The Spider" regressou, lutou, ganhou e no fim chorou. Os campeões são assim, genuínos.