O mau momento de Cristiano Ronaldo parece continuar. Se, dentro do campo, o português dá sinais de retoma, com dois golos de cabeça nos dois últimos jogos do Real Madrid - com o Schalke 04, para a Liga dos Campeões, e com o Elche, para a Liga Espanhola -, fora das quatro linhas, as coisas teimam em não lhe sair bem. A mais recente polémica envolve a Nike: a marca desportiva não viu com bons olhos o lançamento, por parte do português, um dos desportistas-imagem da insígnia, da linha de calçado casual e urbano chamada CR7 Footwear e esteve mesmo à beira de romper o acordo milionário que tem com o craque madeirense. Perante as ameaças da multinacional norte-americana, o avançado "merengue" viu-se obrigado a retirar do mercado uma parte da colecção.

Publicidade
Publicidade

Segundo noticiam hoje vários órgãos de comunicação espanhóis, principalmente os da Catalunha (com os desportivos Sport e Mundo Deportivo à cabeça), sempre à procura de um motivo para criticar o Real Madrid e #Cristiano Ronaldo e enaltecer os rivais Barcelona e Lionel Messi, houve uma disputa entre a Nike e o jogador devido ao facto de este não ter informado a marca do lançamento da sua linha de sapatos, que a empresa interpretou como concorrência desleal.

A Nike paga a Cristiano Ronaldo cerca de nove milhões de euros para utilizar a sua imagem e, de acordo com alguns especialistas de marketing desportivo, o acordo chegou mesmo a estar em perigo. Segundo o contrato, a estrela do Real Madrid está obrigada a vestir e calçar artigos da Nike, pelo que deveria ter sido informada e dado autorização para a colocação no mercado da CR7 Footwear, o que não terá acontecido.

Publicidade

Finalmente, e após um ultimato da Nike, a marca e o avançado português conseguiram chegar a um acordo, pelo que o jogador só vai comercializar as linhas Basic, Premium e Luxury da sua nova colecção, com botas, mocassins e sapatos urban com preços entre os 100 e os 550 euros, fabricados de forma artesanal em Guimarães. Os modelos desportivos foram retirados. Convém recordar que Cristiano Ronaldo tinha já à venda uma bem-sucedida linha de roupa interior, também sob o selo CR7. #Negócios