Pela quarta vez em 5 anos, Novak Djokovic venceu o Open da Austrália. O sérvio venceu a final frente ao escocês Andy Murray por 7-6 6-7 6-3 e 6-0. Este é claramente o torneio favorito de Novak Djokovic. O número um mundial soma a partir de hoje 8 títulos do Grand Slam, sendo que cinco foram conquistados em Melbourne. A Rod Laver Arena encheu para a final entre Djokovic e Murray, que não desiludiram.

Os primeiros dois sets só foram decididos com recurso ao Tie Break. Depois de perder o primeiro set, Murray conseguiu vencer o segundo set. Duas horas e meia após o inicio do encontro estava tudo empatado. O momento decisivo do encontro foi o 3º set, vencido facilmente por "Nole".

Publicidade
Publicidade

 Com essa derrota na terceira partida, Andy Murray entrou em desequilibro emocional e ofereceu o 4º set por 6-0 dando assim a Djokovic a 5ª vitória no Open da Austrália.



Djokovic tranquilo do princípio ao fim

Novak Djokovic nunca viveu momentos de máxima pressão neste Open da Austrália. Os dois maiores rivais, Roger Federer e Rafael Nadal, cedo deram sinais de não estarem no pico de forma. O espanhol sofreu na segunda ronda para vencer Tim Smyczek, o número 112 do ranking mundial. Só ao fim de 5 sets e 250 minutos de ténis é que Nadal carimbou a passagem à terceira ronda. Nadal jogou grande parte do torneio em insuficiência física, mas a eliminação do vencedor de 14 torneios de Roland Garros, só surgiu nos quartos de final frente ao checo Tomas Berdych. 


Roger Federer perdeu na terceira ronda com Andreas Seppi. O suiço de 33 anos impressionou na primeira ronda com a sua atitude atacante. Na ronda seguinte já teve algumas dificuldades e na terceira acabou por perder, levantando novas questões sobre se será capaz de ganhar mais algum torneio do Grand Slam.  


Com as desilusões de Federer e Nadal, foi mesmo Andy Murray a aparecer na final de Melbourne Park. O escocês teve também um torneio tranquilo. A maior oposição que obteve foi mesmo nas meias finais com Tomas Berdych, numa partida em que chamou mais a atenção os impropérios de Murray e da sua namorada, Kim Sears, do que o nível de ténis praticado. Outro jogo em que a qualidade de ténis deixou algo a desejar foi a meia-final entre Novak Djokovic e Stanislas Wawrinka. O "outro suíço" levou o número 1 mundial a cinco sets, mas a tentativa de renovar o título de 2014 perdeu-se quando, no set decisivo, foi batido por um concludente 6-0.