São padres, chefes de paróquia, guiam populações. Fazem votos de pobreza, de castidade e levam a vida longe dos prazeres carnais e das tentações mas... nada disso implica ficar longe da febre da bola. O futsal é uma paixão para alguns párocos portugueses que vestem os cores da bandeira nacional e defendem o país em campeonatos. Desta vez, apuraram-se para a final da "Clerigus Cup" e bateram a mais forte seleção europeia: a Polónia.

Apesar da equipa lusa ter considerado, em declarações à Agência Ecclesia, que a "Clerigus Cup" está cada mais "competitiva", a caminhada portuguesa no grupo A começou da melhor maneira: três jogos, três vitórias.

Publicidade
Publicidade

Os padres portugueses venceram a Eslováquia por 1-0, depois bateram a Albânia por 2-0 e sofreram o primeiro golo na competição no desafio em que ganharam à Bielorússia por 3-1. As redes da baliza portuguesa voltaram a abanar nos quartos-de-final contra a Hungria, mas a vitória voltou a sorrir à seleção nacional de futsal do clero que, ao vencer por 2-1, garantiu o passaporte para a meia-final. Seguiu-se a Croácia e mais uma vitória lusa, por 1-0.

Eis que chegava o dia da final e, segundo os jogadores nacionais, é sempre um momento "atípico, com enorme intensidade, velocidade e muitos nervos à flor da pele". Talvez por isso, a final frente à favorita Polónia só se tenha decidido na 2.ª parte, altura em que surgiu o único golo do jogo. "Após uma recuperação de bola, o padre António Cunha (de Viana do Castelo) segue pela linha lateral, finta alguns jogadores e, mesmo já perto da linha de fundo, faz um golo soberbo colocando a bola mesmo no ângulo superior direito da baliza", conta um dos jogadores à Agência Ecclesia.

Publicidade

A vitória portuguesa foi muito festejada em Sankt Polen, Áustria, local onde decorreu a "Clerigus Cup", e nem mesmo a quilómetros de distância os padres deixaram de dedicar o momento de festa "a todos os portugueses que vivem tempos de crise". Também o padre José Miguel Pereira foi recordado e homenageado pela equipa lusa. O pároco da Apúlia, que faleceu recentemente, era um dos rostos da seleção mas "agora defende as redes da baliza no campo eterno", diz a mensagem dos actuais campeões da "Clerigus Cup" de futsal da Europa 2015. #Religião