Por mais de uma ocasião, o Santiago Bernabéu fez ouvir a sua voz contra Gareth Bale, após o galês ter insistido numa jogada a solo em vez de servir um dos seus companheiros em melhor posição para fazer golo. No mais recente desafio, frente à Real Sociedad, sem Cristiano Ronaldo na equipa, a cena repetiu-se. Demasiado individualista, o extremo não acerta e o público explode. Esta não é, contudo, a primeira vez que uma estrela madridista sofre com a exigência (excessiva) em Chamartín. Ídolos como Zidane, Ronaldo, Guti ou mesmo Alfredo Di Stéfano também tiveram de conviver com a censura dos adeptos.

Perante este cenário, um dos principais apoiantes de Bale é o presidente do Real Madrid.

Publicidade
Publicidade

As câmaras do canal televisivo espanhol La Sexta mostraram Florentino Pérez em grande cumplicidade com o galês quando a equipa chegou ao estádio para o jogo contra os bascos. Por exemplo, o abraço a Sergio Ramos, um dos símbolos actuais do madridismo, e cuja renovação de contrato está em cima da mesa, foi bem menos caloroso que os mimos que o líder do clube dispensou à sua mais cara contratação. Bonitas palavras e gestos para o futebolista no centro das críticas.

O apoio presidencial a Bale é inquestionável e Florentino Pérez já o explicou a Cristiano Ronaldo, a outra "menina dos olhos" do timoneiro "merengue", quando o galês começou a errar e a mostrar o seu lado mais individualista. No jogo com o Espanyol, CR7 não gostou do excessivo protagonismo do seu companheiro e ficou bastante aborrecido.

Publicidade

Aliás, os gestos de descontentamento do português foram visíveis. Benzema também não gostou do egoísmo do ex-Tottenham, mas queixou-se em voz baixa, tal como aconteceu com James Rodríguez, no dia do jogo com a Real Sociedad.

Coube ao presidente tomar a iniciativa de serenar os ânimos entre as suas maiores estrelas. Florentino Pérez falou com Ronaldo e deixou-lhe claro que é necessário ajudar Bale. A mensagem, contudo, não terá caído bem ao melhor do mundo. "Cristiano, temos de ajudar o Bale, porque ele vai ser o futuro Bola de Ouro", terá dito o líder do Real, segundo o jornal espanhol Vozpópuli. As palavras do mandatário são claras e significam o que o galês representa para ele. Há que esperar para ver como reage CR7 a esta declaração de princípios.

Apesar das críticas, o peso de Bale no Real Madrid é inquestionável e o seu lugar no onze parece indiscutível, mesmo depois da recuperação de Modric. Carlo Ancelotti tem mais uma dor de cabeça para fazer com que nenhuma das suas estrelas se sinta excluída.

Publicidade

Já Florentino Pérez tem claro que a venda do galês não faz parte dos seus planos. Apesar dos rumores sobre o regresso à Premier League, nenhuma oferta por Bale chegou ao Bernabéu e, caso tivesse chegado, a resposta seria peremptória: "Gareth não está à venda".

É assim que o Real prepara o desafio contra o Sevilha, no qual Bale terá nova palavra a dizer. Sem Cristiano, o extremo deve voltar a puxar dos galões, mas sem individualismos. As bancadas voltarão a escrutinar cada acção, Gareth sabe-o e pretende corrigir as suas falhas. Conta com o apoio incondicional do presidente, mas quer voltar a estar nas boas graças dos companheiros e do público do Bernabéu. A prova de fogo é já quarta-feira. #Futebol