Rafael Nadal, o ex-número 1 do mundo, jogou três torneios este ano e não chegou a uma única final. No Open da Austrália perdeu nos quartos-de-final. No Open do Qatar foi derrotado na primeira ronda e agora está fora do Rio Open, na sua superfície preferida - o saibro (terra batida), onde foi campeão no ano passado. Rafael Nadal foi derrotado nas semifinais do Rio Open, no sábado, perdendo 1-6, 6-2 e 7-5, para o italiano Fabio Fognini, que se reunirá com David Ferrer na final.

"Toda a gente sabe que ele [Nadal] é o melhor nesta superfície", disse Fognini. "Eu não tenho palavras para descrever este momento. Estou super- feliz. É o melhor jogo que ganhei até agora na minha carreira."

Nadal vai jogar na próxima semana em Buenos Aires, na esperança de se reerguer, já com os olhos postos no Open de França, daqui a três meses. Importa referir que Nadal ganhou nove dos últimos 10 títulos em Roland Garros, mas este pode ser o seu maior desafio, dada a época desastrosa que está a ter.

"Eu sinto que o meu #Ténis está perto, mais perto que há um mês, do nível a que quero chegar novamente", disse Nadal, que perdeu muita da sua boa forma do ano passado devido a doenças e lesões. No Rio, Nadal queixou-se de cãibras devido calor, e disse que simplesmente não jogou o suficiente. Disse estar motivado, e que o Open do Rio "não foi uma semana negativa."

Rafael Nadal parece muito mais magro do que há um ano, apesar de ter dito no início da semana que o seu peso não varia há seis anos - entre 85-86,5 quilos. "O meu físico é o mesmo de sempre", disse ele. "Tudo está igual. Não há mudanças na minha vida, nem há mudanças na minha preparação."

Fognini venceu a partida subindo à rede e devolvendo uma bola difícil - que tinha roçado a rede - para o outro lado, ganhando o jogo. Nadal tinha vencido o primeiro set com facilidade, mas não foi capaz de manter esse nível. "Eu estou feliz pela forma como joguei este primeiro set", disse Nadal. "Mas cansei-me demasiado depressa hoje… Mas esse tipo de coisas pode acontecer."

Ferrer avançou para a final de domingo, ao derrotar Andreas Haider-Maurer, da Áustria, por 7-5, 6-1. O espanhol já defrontou Fognini sete vezes e ganhou em todas elas. A final terá início na noite de domingo e a meteorologia faz prever uma partida difícil para ambos os jogadores: A temperatura continua a pairar em torno de 32°C, com humidade sufocante.