105 dias depois o Académico de Viseu voltou a perder em casa. O feito pertenceu ao Atlético, que já não vencia fora do Estádio da Tapadinha há mais de quatro meses. Num jogo em que o domínio foi praticamente total por parte dos viseenses, valeu o golo solitário de Silas que não desperdiçou um penálti mal assinalado por parte do árbitro da partida. Na ressaca da vitória frente ao rival e até então líder do campeonato, Tondela, os pupilos de Ricardo Chéu não conseguiram fazer frente ao emblema de Alcântara que somou três importantes pontos na luta pela manutenção da Segunda liga de #Futebol.

Num duelo que parecia destinado ao triunfo dos viseenses, entrou melhor o Académico logo aos 3 minutos, com uma tripla oportunidade num só lance.

Publicidade
Publicidade

Primeiro com Alex Porto a acertar na barra da baliza do Atlético e depois com o guardião Igors Labuts a defender os remates à queima-roupa de Fábio Martins e novamente de Alex Porto. Com mais bola e maior liberdade no último terço do terreno, o clube da casa acercava-se com relativa facilidade dos postes dos lisboetas mas com o passar do tempo, Lázaro Oliveira acertou nas marcações e foi tirando a bola aos de Viseu.

Com passes compridos para as costas da defensiva academista, o Atlético ia apostando na velocidade de Bata e Palácios para incomodar Ivo Gonçalves. Já depois de um livre directo de Fábio Martins que obrigou Labuts a brilhar, os alcantarenses adiantaram-se no marcador através de uma grande penalidade convertida por Silas. Num lance em que o árbitro Sérgio Piscarreta errou ao assinalar falta de Tiago Gonçalves sobre Kiki, o experiente capitão do emblema da Tapadinha não tremeu e fez o 0-1 aos 42 minutos.

Publicidade

Atrás no marcador, o Académico tentou chegar ao golo do empate  mas sempre sem discernimento, tendo lutado na segunda parte contra um Atlético que se limitou a defender a magra vantagem. Com destaque para Bata que fez a cabeça em água à defensiva viseense, os homens orientados por Lázaro Oliveira controlaram sempre com relativa facilidade os recorrentes lances de bola aérea para a baliza de Labuts.

Do lado do Académico, depois de uma vitória moralizadora a meio da semana, eis que esta derrota trouxe de volta à "terra" uma equipa que pareceu fisicamente diminuída e com falta de motivação frente a um adversário aparentemente inferior. Mais de 3 meses depois, Ricardo Chéu sentiu pela primeira vez o sabor da derrota no Fontelo. Já o Atlético voltou a sorrir mais de 2 meses após o último triunfo e volta a ganhar confiança para a luta pela manutenção.