Fumo branco no #Futebol viseense. A Associação de Futebol de Viseu (AFV) reuniu com os árbitros e clubes do Distrito para ser encontrada uma solução para a actual situação que suspendeu toda a actividade futebolística no passado fim-de-semana. Em cima da mesa esteve a obrigatoriedade de haver policiamento em todos os jogos, mas as limitações orçamentais levaram a que fosse encontrada outra saída. Todas as jornadas vão ser decididas quais as partidas que vão ser policiadas. A palavra passará por uma comissão.

Depois do pedido de dispensa da quase totalidade dos árbitros do Distrito, numa decisão que levou a AFV a suspender todos os jogos organizados pela Associação no passado fim-de-semana, tanto no futebol como no futsal, era urgente encontrar uma solução para a falta de segurança nos recintos desportivos, que já vitimou dois árbitros.

Publicidade
Publicidade

Numa decisão salomónica, foi criada uma comissão que vai ter a responsabilidade de analisar e decidir, jornada após jornada, quais os jogos que devem ter policiamento. Factores como rivalidades entre clubes (dérbis concelhios e localidades), jogos entre adversários directos à subida ou descida e clubes que já "possuam" historial em casos de violência contra árbitros vão ser tidos como preponderantes para decidir a obrigatoriedade de haver forças de segurança nos recintos onde se vão realizar essas mesmas partidas. A comissão vai ser composta por quatro elementos: um representante da AFV, um do Conselho Técnico, um do Núcleo dos Árbitros do distrito e ainda um elemento da organização das competições.

Quem vai ter obrigatoriamente de requisitar a presença das forças de segurança nos restantes jogos em casa até ao fim da temporada são a AD Castro Daire e o Oliveira do Douro.

Publicidade

Os dois emblemas que registaram casos de agressões às equipas de arbitragem esta temporada ficaram na "lista negra", tendo a AFV margem zero para o que apelidou de clubes "prevaricadores".

Assistentes de Recintos Desportivos vão ter formações

Figuras centrais nestes casos de agressões às equipas de arbitragem, têm sido os denominados Assistentes de Recintos Desportivos (ARD) que não têm cumprido o papel que lhes compete - manter a segurança dos intervenientes que evoluem dentro das quatro linhas. Para dotar os ARD's de ferramentas que lhes permitam saber gerir e resolver casos de insegurança, a Associação de Futebol de Viseu afirmou, pela voz do seu presidente José Alberto Ferreira, que serão realizadas sessões de formação. Para já uma coisa está confirmada, a bola vai voltar a rolar nos mais diversos espaços desportivos do Distrito. A alegria do futebol está de volta a Viseu.