Ainda dá que falar o aparatoso acidente que o bi-campeão mundial de Fórmula 1 sofreu em Barcelona no passado dia 22 de Fevereiro. Após o susto, Fernando Alonso já está praticamente recuperado, mas vêm agora a público os primeiros momentos após o despiste com o McLaren. O piloto espanhol terá recuperado da perda de consciência com graves problemas de memória, "assumindo" um discurso relativo a 1995, no qual era mestre, mas nos karts. O susto foi enorme, mas, após várias baterias de testes, ficou comprovado que o asturiano não sofreu qualquer problema cerebral. Os lapsos que ainda possam perdurar vão desaparecer com o tempo.

Socorrido em pleno autódromo de Montmeló, em Barcelona, assim que recuperou os sentidos, Alonso foi questionado pelos médicos presentes.

Publicidade
Publicidade

Perguntas-diagnóstico foram colocadas ao espanhol como "Quem és? Em que trabalhas? O que queres fazer no futuro?", ao qual o piloto respondeu: "Chamo-me Fernando, sou piloto de karts e quero chegar à Formula 1".

Se fosse uma anedota até poderia ter a sua graça, mas não era. Alonso apresentava sinais de gravidade extrema, com um discurso que, aparentemente, demonstrava que as memórias dos últimos 20 anos da sua vida tinham sido apagadas. De fora da sua memória não constavam apenas os dois títulos mundiais (2005 e 2006), como até as últimas 4 Liga dos Campeões que o Real Madrid conquistou (1998, 2000, 2002 e 2014), clube do qual é adepto assumido.

Apesar do enorme susto e depois de três dias internado, Fernando Alonso está a recuperar bem e uma semana depois do acidente já tinha restabelecido a quase totalidade da memória.

Publicidade

Contudo, o espanhol vai mesmo falhar a primeira prova da época na Fórmula 1 por precaução médica. O asturiano vai ficar em casa dada a gravidade e violência com que chocou contra o muro do circuito. Após muito se especular, tanto a equipa de neurologia que acompanhou o processo, como a Mclaren já confirmaram que o piloto de 33 anos só vai voltar no segundo grande prémio. Será caso para dizer, o susto passou e a perda de memória também. #Automobilismo